30 de set de 2010

Ponto de encontro dos amantes do português

Separei a noite de hoje para reciclar o conhecimento com a palestra Dicas de português, da editora de Opinião do Correio Braziliense, Dad Squarisi, no auditório do jornal.

Ela explicou o uso do porque, do x ou ch, as novas regras da língua. Uma aula com a professora que é referência na defesa da gramática. Ah! O hífen, castigo divino para os brasileiros, não foi esquecido. É a própria Dad que diz que o hífen é castigo.

Com bom humor, simplicidade, leveza e conhecimento de causa, ela esclareceu as idéias da gente. Tirou todas as dúvidas.

A palestra faz parte do projeto Dois Pontos, um bate-papo que leva mais conteúdo aos leitores.

29 de set de 2010

Nada de Dilma Roussef. Votamos em Marina Silva

Sexta-feira próxima, 1º de outubro, a liderança da Assembléia de Deus (AD) fará uma mobilização dos evangélicos em favor do voto em Dilma. O pastor Manoel Ferreira lidera o movimento pois está preocupado com o crescimento de Marina Silva nas pesquisas.

Nem todos os membros da AD são Dilma. Haverá um movimento de protesto, em frente à Catedral das Asembléias de Deus, na 910 Sul. Muitos dizem que a igreja não pode fechar com um candidato porque há outras posições. Cada um escolhe o candidato que deseja. Nada de voto de cabresto.

Um dos cartazes que será levado para o protesto terá a frase: "Quanto vale uma igreja? Uma igreja vale um voto? Jesus pagou muito mais na cruz".

Todos têm o direito de votar em quem desejar. Mas não vale sustentar uma candidatura no púlpito. Cada pessoa tem seu candidato e não é legal levar a igreja a votar em quem o líder escolhe.

A política não deve dividir os membros. As eleições passarão. A igreja permanecerá e tem a missão de honrar o Reino de Deus.

Correio Braziliense publica artigo sobre Dia do Gordo. Confira meu depoimento

Crônica da Cidade


“Esse corpo não te pertence”
Por Chico Neto

Simpático e-mail da leitora Denise Santana chega lembrando que hoje é o Dia do Gordo. “Que graça tem isso?”, pondera ela, atentando que, na ponta do lápis, a situação obesidade não merece glamourização. Denise defende essa bandeira com toda a propriedade. Exobesa, chegou a pesar 185 quilos, dos quais 103 se foram a partir de uma cirurgia de redução de estômago. “A minha vida mudou para melhor”, conta. Ela quer compartilhar sua conquista de qualidade de vida. E certamente sabe que a redução estomacal não é indicada para todos.

Mas Denise insiste no alerta: “Falta consciência de que a gordura é uma doença e falta também força de vontade para mudar. Isso é mais difícil ainda porque, sem decisão própria, não se chega a lugar algum”. Ela fala em nome das pessoas que ultrapassaram o peso, sofrem com isso e não conseguem tomar uma atitude em favor da própria felicidade.

Pelo contrário: em situações assim, quem costuma dar as ordens é a ansiedade, determinando, de imediato, o aumento de um apetite que já era voraz e, muitas vezes, a preferência por alimentos calóricos e nocivos.

Não bastassem as estatísticas provando que acúmulo de gordura é caminho para uma vida comprometida, há o fator que, para muitos de nós, também tem lá seu peso nessa história: a estética. Não estou falando da ditadura da magreza, mal que acomete a indústria da moda.

Refiro-me ao incômodo que, diante do espelho, tantos gordinhos e gordinhas desse mundo experimentam várias vezes na vida, ao perceberem que estão perdendo a conta da própria forma. E esse também é ou deveria ser um fator considerado na filosofia do Dia do Gordo.

Quando Jorge Mautner diz, em Lágrimas negras, que “belezas são coisas acesas por dentro”, isso serve para compreender a questão dos obesos: o que vai mal por dentro também vai por fora.

Lembrei-me de minha mãe—que justamente hoje, no Dia do Gordo, se fosse viva, estaria completando 74 anos. Nunca chegou a ser obesa, mas desassossegava toda vez que percebia uns quilinhos extras. E tinha um termômetro infalível para se dar conta desse acréscimo.

Ficava arrepiada quando alguma pessoa lhe dizia: “Marisa, você está bonita, fortona!”.

Era a hora de queimar calorias. “Fortona não, pelo amor de Deus! Nem bonitona.Acho horrível!”, dizia.

Obesidades doentias e desalinhos da forma física à parte, existem gordinhos e gordinhas felizes com sua condição. O conjunto adiposo chega a fazer parte da beleza dessas pessoas. Admiro cada uma das que conheço nessa condição. E conheço gente que conseguiu emagrecer e perdeu o viço: o formato original compunha uma estrutura de felicidade geral da qual a pessoa nem se dava conta.Mas a chamada de Denise Santana é oportuna.

Traz esperança a quem desenvolve ansiedade e foge da gordura quando a gordura representa perigo para a saúde.

Mais que isso, a mensagem dessa exobesa abre um rasgo de otimismo quando ela prova que qualquer um de nós pode mudar, desde que queira.Mudanças voluntárias costumam ser emissárias de bons ventos. E a felicidade, enfim, só se instala na vida de quem lhe dá a devida autorização para entrar em casa sem precisar bater à porta.

Correio Braziliense, página 32, caderno Cidades, coluna Crônica da Cidade, 10 de setembro de 2010.

Site: http://buscacb2.correioweb.com.br/correio/2010/09/10/AXX32-1009.pdf

28 de set de 2010

Manifesto do Pr. Silas Malafaia

O pastor Silas Malafaia publicou no site e em diversos jornais do país manifesto a favor da liberdade de imprensa.

Confira. Clique no link:

http://www.vitoriaemcristo.org.br/_gutenweb/_site/pdf/manifesto_globo.pdf

25 de set de 2010

Eu assinei

Eu assinei o Manifesto em Defesa da Democracia.

Acesse e assine também:

http://www.defesadademocracia.com.br/

Não quero que me roubem o direito de opinião.

Não quero que me calem.

Nao quero que calem a imprensa.

Quero imprensa livre e Brasil democrático.

Quero respeito às leis e à Constituição que me garante liberdade de expressão.

24 de set de 2010

Em defesa do diploma

Em defesa do diploma, do esforço empregado para se formar, em respeito à lei que me obrigava a ter nível superior para exercer a profissão que escolhi, em respeito aos meus pais que trabalharam muito para pagar meus estudos.

Por isso, eu defendo o meu diploma de jornalista e todos os meus colegas que também são trabalhadores honestos que levam informação, com ética, para melhorar a vida das pessoas.



Primavera

O segredo é não correr atrás das borboletas. É cuidar do jardim para que elas venham até você.

A frase é de Mário Quintana. Retrata muito bem a nova estação que chegou para mediar o inverno e o verão. A estação das flores.

A primavera traz, além dos ventos mais fortes, as flores, os pássaros, as borboletas. É um colorido mais vivo, é a natureza mais verde, mostrando que a criação deve ser motivo de inspiração para refrescar a vida das pessoas, renovar as esperanças e a fé.

Seja bem vinda primavera! Traga consigo a leveza do vôo das borboletas. Que a vida seja leve assim.

O Mar Vermelho realmente abriu?

Os cristãos sempre acreditaram que sim. Hoje, a ciência também começa a dizer que sim.

Estudo mostra que Moisés teve ajuda do vento para abrir o Mar Vermelho, há 3.000 anos, quando os israelitas passaram a pés enxutos (Êxodo 14:21), fugindo de Faraó e dos soldados egípcios.

O que os pesquisadores americanos estão afirmando está escrito há muitos anos no livro de Êxodo. Basta abrir a Bíblia, ler e crer no poder de Deus.

Carl Drews, do Centro Nacional de Pesquisas Atmosféricas, principal autor do estudo, publicado no site da Public Library of Science, pesquisou o tema com o oceanógrafo Weiqing Han, da Universidade do Colorado.

Ambos afirmam que a abertura das águas, por um forte vento, conforme as Escrituras Sagradas narram, tem base nas leis da física.

Os pesquisadores focaram a busca pelo local onde a travessia poderia ter acontecido. Descobriram que, quando o vento sopra, a água pode se levantar e dividir. No local ficaria uma faixa de terra. O local pesquisado é a leste do Delta do Nilo, no sítio arqueológico Tell Kedua, a norte do Canal de Suez, na costa mediterrânea.

Tiveram a ajuda de um satélite para fazer um modelo da área, e modificaram o terreno para que se parecesse com a forma que tinha nos tempos bíblicos. Depois, preencheram o modelo com água e fizeram vento soprar. De acordo com seus cálculos, um vento de 100 km/h soprando durante 12 horas teria sido capaz de empurrar a água em até dois metros de profundidade por cerca de quatro horas. Esse tempo seria suficiente para que Moisés e o povo atravessassem para a terra prometida.

21 de set de 2010

Pôr do sol no cerrado

O final do inverno está chegando, a primavera se aproxima com o espetáculo das flores e das borboletas.

Mas ainda dá para ver o cenário desenhado à mão pelo Criador, o Artista dos artistas: Deus.

Apesar da seca, da baixa umidade do ar e do calor intenso, Brasília tem um céu de cartão postal nesta época.

Parar, no ocaso, para apreciar as cores do sol, é um privilégio. Chega de corre corre. Dê um tempo no seu dia e louve ao Senhor pela beleza que ele proporciona.

Ah! As fotos são minhas. Eu as tirei depois de participar do Bazar da Moda, evento que comemorou os cinco anos da Revista do Correio, suplemento do jornal Correio Braziliense, no último final de semana, no Pontão do Lago Sul. Um luxo só o bazar!

Eleições 2010: Evangélicos contra a iniquidade

Iniquidade é quando as pessoas estão tão acostumadas ao pecado que não têm mais vergonha de cometê-lo. O pecado passa a ser natural na vida.

A Bíblia diz que, quando a iniqüidade chega, o coração do homem está tão endurecido que ele não se envergonha mais do pecado. Ele não reconhece nem que uma determinada ação é pecado. É tempo no qual Deus tem que julgar uma nação. E todas as pessoas são atingidas por isso.

Os evangélicos têm que tomar cuidado com as eleições que se aproximam.

Existe uma série de leis que tramitam no Congresso Nacional que dependerão do voto dos futuros senadores e deputados federais. Essas leis serão incorporadas pela máquina estatal, por meio da presidência da República. Que tomará força também nas câmaras estaduais, nas ações feitas pelo Estado. A igreja precisa de valores cristãos trabalhando nesses contextos.

Está acontecendo no Brasil um movimento do qual todos os cristãos deveriam se envolver. Líderes cristãos, evangélicos e católicos, estão trabalhando para impedir que a iniqüidade seja institucionalizada na forma de lei. Por isso, alguns pastores têm se posicionado, com suas igrejas, no rádio e na TV. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) também se manifestou. Escreveu um documento se posicionando em relação ao assunto.

O mundo está vivendo em crise. Mas a igreja cristã brasileira sabe o que está acontecendo no Brasil? Vejam as leis que estão tramitando:

Lei da mordaça: A liberdade religiosa dá aos brasileiros o direito de fé, escolha e opinião. Se for aprovada PLC 122/2006, os cristãos correram o risco de ser criminalizados por não concordar com a prática da homossexualidade.

Casamento – Há discursos e ações para aprovar leis que favoreçam o casamento entre pessoas do mesmo sexo e ainda adoção de crianças por parte dos casais homossexuais que criticam os parlamentares e a igreja evangélica que discordam do ponto de vista do grupo. Os líderes do movimento LGBT pedem para que seus liderados não votem em parlamentares evangélicos. Não se trata de fazer um movimento conta o grupo. Trata-se dos evangélicos terem o direito de dizer que não concordam com a prática homossexual. Esse direito está em jogo.

Pornografia – Está aberta a todos, inclusive pela internet. A indústria pornográfica possui imunidade tributária. Faz, em média, dois filmes pornográficos por dia.

Pedofilia – Acontecem em todas as classes sociais, todos os dias. O Disque 100 recebe mais de 30 mil denúncias pó ano de abusos sexuais contra crianças e adolescentes. A família está enfraquecida. Querem que a entidade familiar seja considerada apenas uma união estável entre duas pessoas.

Divórcio – A taxa de divórcio já atingiu a marca de 41% no país.

Violência familiar – Há mais crimes cometidos da porta para dentro da casa do que da porta para fora. Dentro de casa são cometidos crimes contra mulheres e crianças como tortura, constrangimento, agressão e morte.

Infanticídio - Crianças indígenas são enterradas vivas, em várias tribos brasileiras, se nascerem com defeito físico, forem gêmeas ou se o pajé disser que não têm alma. As crianças sufocam, debaixo da terra, até morrer. O governo faz vistas grossas dizendo que a cultura indígena não pode ser alterada.

Aborto – Há uma emenda que discriminaliza o aborto e autoriza a prática até o nono mês de gestação. Isso é concordar com o aborto.

Diante de tantos assuntos que tramitam como projeto de lei no Congresso Nacional, fica a pergunta: Cadê a igreja que está passiva e dormente? A igreja brasileira precisa despertar enquanto há tempo. Enquanto o amor não morreu.

Os evangélicos têm que levar essas questões a sério. Têm que se posicionar, dizendo que não querem isso para a nação. Têm que procurar pessoas que os representem e que votem contra esses projetos. Caso contrário, a iniqüidade será institucionalizada. E Deus julgará a terra. É isso que a Bíblia diz porque Deus não suporta a iniqüidade.

A igreja não precisa dizer aos fiéis em quem votar. Mas pode esclarecer e orientar, dizendo para não votar em candidatos que sejam favoráveis à aprovação dos temas tratados acima.

Nota de esclarecimento

O texto é da jornalista Denise Santana, baseado no depoimento do Pr. Paschoal Piragine Júnior, da Primeira Igreja Batista de Curitiba.

Acesse o vídeo no Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=ILwU5GhY9MI&feature=email

19 de set de 2010

TV faz 60 anos

Hoje a TV está na era da alta definição. É moderna, com telas super finas. Mas a TV tem 60 anos, cheia de história pra contar.

Foi em 18 de setembro de 1950 o dia da primeira transmissão. O primeiro rosto a aparecer na TV foi de uma menina de cinco anos, vestida de índio. Era Sônia Dorce, hoje atriz. Ela disse “boa noite, está no ar a televisão do Brasil”. Sessenta anos depois, em entrevista ao repórter Emerson Ramos, no Jornal da Record, Sônia disse que, na época, não sabia que estava fazendo história. Foi Assis Chateaubriand que a pediu para entrar no ar e falar.

O empresário Chateaubriand criou a TV Tupi cuja logomarca era um índio, importou os equipamentos como a primeira câmera que ainda é preservada. Ele também trouxe do exterior 200 aparelhos de TV e distribuiu gratuitamente em São Paulo para as famílias assistirem aos programas que só eram transmitidos à noite.

No ano seguinte, os aparelhos começaram a ser fabricados no Brasil. Eram grandes, em caixa de madeira, com mais de 50 centímetros de profundidade. Muito diferente das telas super finas que atualmente se encontram no mercado.

As novelas encantaram os telespectadores. Ficou na história Vida Alves, a atriz que deu o primeiro beijo na telinha, em 1958. Lolita Rodrigues e Hebe Camargo também assinaram seus nomes na televisão brasileira como cantoras (no início das carreiras), depois como atriz e apresentadora.

Pelo Brasil, a Globo e a Record têm os registros mais antigos dos programas. As gravações antigas estão sendo restauradas na Rede Record e serão digitalizadas. São imagens muito importantes como os primeiros festivais de música do país.

Em Brasília, a primeira emissora foi a TV Brasília, canal 6, trazida juntamente com o Correio Braziliense quando o presidente Juscelino Kubitschek inaugurou a cidade, em 1960.

Ontem, em São Paulo, aconteceu uma super festa para celebrar os sessenta anos de um veículo que tem muito mais histórias para contar para os brasileiros. Entretenimento e informação são o forte da TV contemporânea.

O brasileiro viu a história e a vida passar pela telinha. A viagem do homem à lua, as primeiras comédias e festivais de música, o clamor popular por Diretas Já, as primeiras eleições democráticas no Brasil depois da ditadura militar, os ataques terroristas, ao vivo, às Torres Gêmeas em Nova York, o impeachment de Collor, a vitória presidencial de Lula, a cobertura das eleições, a guerra dos Estados Unidos contra o Iraque, as copas do mundo de futebol, as Olimpíadas e muito mais.

Existem mais aparelhos de TV no Brasil do que geladeiras. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), comprova o fato: 98,2% dos domicílios têm fogão; 95,1% têm TV; a geladeira fica em terceiro lugar e o rádio em quarto.

17 de set de 2010

Dia Nacional do Evangélico

Presidente Lula sanciona lei que estabelece Dia Nacional do Evangélico

Agora é lei. Os evangélicos brasileiros terão um dia exclusivo: 30 de novembro de cada ano.

A lei 12.328/2010, que institui o Dia do Nacional do Evangélico, foi sancionada no último dia 15 pelo presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva. A data será comemorada em novembro, mas não será feriado.

Em duas unidades da Federação, no Distrito Federal e no Amapá, a data já existe.

De acordo com autor da lei, deputado Cleber Verde (PRB/MA), o objetivo é homenagear esse segmento que tem crescido consideravelmente e garantir o reconhecimento do trabalho social realizado pela igreja evangélica.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que os evangélicos representam 15% da população brasileira, um total de 34 milhões de pessoas.

Suicídio: Mortes silenciosas e silenciadas

A sociedade deve entender o comportamento suicida como um grito de dor e um pedido de socorro.

A favor da vida. Essa é a posição da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) ao debater o tema Comportamento suicida: Conhecer para prevenir. Em uma campanha, por meio do programa ABP Comunidade, psiquiatras explicam à população os cuidados em relação ao ato de tirar a própria vida, como prevenir o problema e ainda sobre saúde mental. A Associação promoveu o debate no dia 6 de setembro, em parceria com o Pátio Brasil Shopping. Também participaram representantes da Defesa Civil e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

O tema é tabu, mesmo para a sociedade do século 21 que dispõe de maior acesso à informação. Mas muita informação não significa, necessariamente, conhecimento. É por meio do debate que se gera mais consciência, sendo possível alcançar a prevenção.

O Dr. Neury Botega, psiquiatra, professor titular de Psicologia Médica e coordenador do Laboratório de Saúde Mental e Medicina da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador da Comissão de Prevenção de Suicídio da ABP, foi o responsável pela palestra que explicou à imprensa como tratar o assunto com mais sensibilidade e também às pessoas, de modo geral, como agir para prevenir.

De acordo com o psiquiatra, tanto a família quanto a pessoa que tenta tirar a vida mas que não concretizam o ato buscam esquecer a questão. Querem apagar as dores e a ação em si. “As pessoas tentam colocar fora da história da vida o suicídio. Mas precisamos conversar sobre ele, pois estamos falando não de morte, como muitos pensam. Mas, sim, de vida”, esclarece o médico que alerta ainda que os que tentaram suicídio, mas na atingiram o objetivo, merecem atenção redobrada.



As causas

O Dr. Neury Botega diz que o ato suicida está associado aos transtornos mentais.

A depressão, por exemplo, pode levar ao suicídio. Um dado apresentado pelo médico é que 15% das pessoas que têm depressão grave cometem se matam.

Álcool e drogas também agravam a questão. Em 23% dos casos, de acordo com Botega, a pessoa está alcoolizada ou sob efeito de substâncias. Os transtornos mentais de humor bipolar e esquizofrenia aparecem nos casos.

Toda pessoa que põe fim à vida tem problema mental? Nem sempre. Também não é possível afirmar que todas as pessoas que têm problema mental vão se suicidar. Mas os médicos afirmar que a doença mental é forte fator de risco. Então, como fazer uma prevenção universal? A resposta o próprio médico aponta, o que não significa que seja simples alcançá-la: conscientização e redução do acesso aos meios letais, com controle de armas e de medicação, por exemplo. Esses são alguns meios viáveis. Também pode ajudar na prevenção identificar as pessoas deprimidas, o isolamento, quem sempre faz ameaças. É muito importante observar o comportamento da pessoa e dialogar com amor e compreensão.



No Brasil

Ao traçar o perfil de alguém que se suicida, percebeu-se que os jovens são as maiores vítimas.

Outro dado que chama a atenção das autoridades de saúde são os números. São 24 atos suicidas por dia. Ou seja, uma pessoa se mata a cada hora no Brasil. O Rio Grande do Sul é o estado com maior número de casos.



Em Brasília

Durante muitos anos a Torre de TV foi um ponto no qual as pessoas recorriam quando a intenção era tirar a própria vida. No total, a torre tem 224 metros. A 75 metros de altura possui um mirante, com capacidade para 150 pessoas. As visitas são diárias pois o local é um ponto turístico da Capital.

Depois de várias ocorrências de suicídio, as autoridades posicionaram-se a favor da construção de uma grade mais alta que impede que a pessoa se lance.

Recentemente, outro ponto na cidade tornou-se foco do problema. O Pátio Brasil Shopping já registrou 13 casos de suicídio nas áreas interna e externa. Com um fluxo de 55 mil pessoas por dia, as conseqüências do ato poderiam ser ainda mais graves. “Analisamos as imagens e vimos que demora apenas quatro minutos da entrada da pessoa no shopping até ela se jogar dos andares mais altos”, disse Leonel Taffarel, superintende do shopping.

A direção do Pátio Brasil tomou a decisão de fechar com vidros o terceiro e quarto andares para evitar que as pessoas se lançassem, caindo no térreo. Na área externa as obras ainda não foram concluídas por causa de dois embargos realizados pela Agência de Fiscalização do DF (Agefis). De acordo com Taffarel, os embargos foram determinados mesmo depois de projeto apresentado ter sido aprovado pelas autoridades públicas. Na reunião de conciliação estavam presentes representantes do Pátio Brasil, do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil do DF, promotores e procuradores de Justiça. Até o momento, a superintendência do shopping espera uma resposta da Justiça, pois recorreu da medida junto ao TJDFT.



No mundo

Parece difícil de acreditar, mas, a cada 35 segundos, uma pessoa morre por ato suicida no mundo. China, Índia, Rússia, Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Ucrânia e Sri Lanka lideram o ranking mundial.

O suicídio e a depressão custaram US$ 32 bilhões ao Japão no ano passado, quando 32 mil pessoas se suicidaram, com idade entre 15 e 69 anos.

É a primeira vez que o governo japonês divulga esse tipo de dados, baseado em levantamento nacional que somam custos como renda perdida, tratamentos e benefícios sociais.

Autoridades afirmam que, entre as causas, estão a perda do emprego e a má situação financeira. Fonte: BBC Brasil



Diante da lei

De acordo com a legislação brasileira (Código Penal Brasileiro, artigo 122) é crime contra a vida induzir, instigar (incitar, provocar) ou auxiliar uma pessoa a tirar a vida.

As penas são duas: Reclusão (de dois a seis anos) se o suicídio se consuma; e reclusão (de um a três anos) se da tentativa de suicídio resultar lesão corporal grave.

A pena é duplicada se o crime é praticado por motivo egoísta; se a pessoa é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.

Roberval Casemiro Belinati, desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, explicou na palestra que o patrimônio da pessoa que se suicida pode responder pelo problema.

O desembargador estudou mais a fundo o assunto depois que presenciou, ao lado de sua família, um rapaz se jogar do quarto andar do Pátio Brasil.



À luz das Sagradas Escrituras

A Bíblia não trata do suicídio como tema especial. Relata casos de pessoas que se suicidaram, como Judas. Ou que pensaram em suicidar-se, como o carcereiro. Também existem textos que relatam a história da morte de Saul, que se lançou sobre a sua própria espada.

Como se percebe, nenhum dos versículos comenta sobre pecado ou perda da salvação.
Na verdade, há um consenso doutrinário nas igrejas evangélicas, herdado da igreja católica, sobre esse tema. Por isso, muitas pessoas associam suicídio a morte eterna, a perda da salvação. Mas a Bíblia não relata sobre esse ponto.

O que está escrito acima, não significa que a autora/repórter defenda a pessoa que tira a própria vida. Não é um incentivo para as pessoas se matarem. A defesa tem que ser sempre pela vida, que é um dom divino. É apenas uma observação de que uma afirmação que liga suicídio ao inferno não tem registro bíblico. As pessoas devem preservar o santuário de Deus, conforme está registrado em I Co. 3:17.

Uma das preocupações das igrejas atualmente é o cuidado com a família que passa por profunda dor por causa da perda. Nesses casos, cabe à igreja ajudar os familiares. Andar junto com a família, em amor, consolando-a. Esse deve ser o trabalho dos líderes que devem ajudar para que cada familiar possa continuar levando a vida, apesar da dor. Tem que caminhar junto.

A Bíblia traz alguns conselhos para as pessoas que atravessam problemas. Incentiva, até mesmo, que as pessoas devem pedir ajuda, compartilhar as necessidades, ter esperança, ser paciente diante dos desafios e das dificuldades. Desistir não é o melhor caminho.

O exemplo está em Romanos 12:11-13 que afirma: “Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade”. Outro texto que incentiva a ser firme e passar pelas dificuldades está em Tiago 1:12-16: “Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Não erreis, meus amados irmãos”.

Os judeus – Há tempos atrás, a prática de enterrar as pessoas que tiravam as suas próprias vidas em local separado nos cemitérios judeus era muito comum, já que na condição de suicidas lhes eram negados alguns rituais da cerimônia de enterro. Atualmente essa prática mudou. De acordo com Abrahan Moysés Melul, diretor religioso da Associação Cultural Israelita de Brasília, hoje existe o entendimento de que a pessoa que comete suicídio não está no gozo pleno de suas faculdades mentais e até mesmo pode sofrer de alguma enfermidade grave, que tira do suicida a compreensão plena do ato que está praticando. “Não se faz diferença no ritual de enterro de uma pessoa que morreu de causas naturais e/ou acidente daquele que cometeu suicídio”, enfatiza Abrahan.

Apesar de não fazer mais distinção das pessoas no momento do sepultamento, o judaísmo tem como regra que só Deus pode conceder e tirar a vida de alguém. Desse modo, o suicídio seria um pecado grave contra Deus, uma negação de que a vida é um dom divino. A idéia que prevalece na cultura judaica é a de usar o benefício da dúvida quanto ao suicídio em si, já que na maioria das vezes é um ato praticado a sós, sem testemunhas. “Será que o suicida tem realmente a noção exata do ato que está praticando? Busca-se, de todas as formas, não fazer nenhum tipo de diferenciação entre as pessoas hoje”, diz Abrahan.

Os católicos – A Igreja Católica não realizava missa de corpo presente nem mesmo missa de sétimo dia para as pessoas que cometiam suicídio. A legislação canônica, promulgada pelo papa Bento XV, em 1917, dizia que as pessoas que tirassem a própria vida deveriam ser excluídas da sepultura eclesiástica e também da missa exequial (missa de corpo presente). Também era negada a missa pelo aniversário ou ofícios fúnebres públicos.


Em 1983 essa legislação mudou. Foi promulgado o novo Código de Direito Canônico, pelo papa João Paulo II. As regras mudaram. Agora os padres podem fazer a missa para todos, sejam suicidas ou não.

O padre Valdir Mamede, da Paróquia Imaculado Coração de Maria, no Park Way, esclarece a posição dos católicos a respeito do suicídio.

De acordo com Mamede, o catecismo da Igreja, promulgado na Constituição Apostólica Fidei depositum, pelo papa João Paulo II, de 1992, afirma que cada pessoa é responsável por sua vida diante de Deus que é o doador e único Senhor. E que as pessoas devem receber a vida com reconhecimento e preservá-la para a sua honra e a salvação de suas almas. “Somos administradores e não os proprietários da vida que Deus nos confiou. Não podemos dispor dela. O suicídio contradiz a inclinação natural do ser humano a conservar e perpetuar a própria vida. É gravemente contrário ao justo amor de si mesmo. Ofende igualmente o amor do próximo porque rompe injustamente os vínculos de solidariedade com as sociedades familiar, nacional e humana, às quais nos ligam muitas obrigações. O suicídio é contrário ao amor do Deus vivo. Distúrbios psíquicos graves, a angústia ou o medo grave da provação, do sofrimento ou da tortura podem diminuir a responsabilidade do suicida. Não se deve desesperar da salvação das pessoas que se mataram. Deus pode, por caminhos que só Ele conhece, dar-lhes a ocasião de um arrependimento salutar. A Igreja ora pelas pessoas que atentaram contra a própria vida”, enfatizou o padre, citando a Constituição Apostólica.

Referências bíblicas sobre suicídio:

Morte de Judas por enforcamento: Mateus 27:5

Tentativa de morte do carceceriro: Atos 16:27

Morte de Saul: I Samuel 31:4

Morte de Aitofel - II Samuel 17:23


Morte de Zinri, depois que colocou fogo na casa do rei - I Reis 16:18




Fique por dentro

10 de setembro – Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

Tema de 2010: Muitas faces, muitos lugares, prevenção do suicídio ao redor do mundo



Busque ajuda

Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP)

http://www.abpbrasil.org.br

Manual de imprensa da ABP:

http://www.abpbrasil.org.br/sala_imprensa/manual/img/Cartilha_ABP_2009_light.pdf

Cartilha Comportamento suicida: Conhecer para prevenir:

http://www.abpbrasil.org.br/sala_imprensa/manual/img/CartilhaSuicidio_2009_light.pdf

Cadastre-se e receba aviso sobre o lançamento da Cartilha Saúde Mental e Direitos Humanos:

http://www.abpcomunidade.org.br/cartilhas/cartilha/cadastro

Organização Mundial de Saúde

http://www.who.int/mental_health/prevention/suicide/suicideprevent/en/

Ministério da Saúde

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/cidadao/visualizar_texto.cfm?idtxt=25605



Depoimentos

“Nos meus 32 anos de bombeiro na área de salvamento, tínhamos sempre ocorrências sobre suicídio. A nossa preocupação é com as áreas públicas onde podemos interferir para evitar o problema. Já mapeamos os pontos em Brasília onde estão acontecendo o maiores números de ocorrências.”

Cel Luiz Carlos Ribeiro, subsecretário da Defesa Civil do DF



“Temos que divulgar os casos com conotação preventiva. Mais divulgação significa mais prevenção para as famílias. A prevenção pode salvar muitas vidas. Os shoppings e edifícios podem responder civilmente caso se prove que ouve falha na segurança, por exemplo. Por isso, a responsabilidade sobre o problema é de todos.”

Roberval Casemiro Belinati, desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal

15 de set de 2010

Correio Braziliense publicou meu artigo

O Correio Braziliense, caderno Cidades, pág. 26, na coluna Correio do Brasiliense, de 6/9/10, publicou meu artigo com o título O evangélico e o voto ético.

Acesse: http://buscacb2.correioweb.com.br/correio/2010/09/06/ASX26-0609.pdf

14 de set de 2010

Santuário suntuoso

Símbolo máximo da fé judaica, a construção da réplica do templo do rei Salomão começou no bairro do Brás, no centro de São Paulo, pela Igreja Universal, liderada pelo bispo Edir Macedo. Cristãos, judeus e pessoas de todos os credos poderão visitar o templo. Será um pedaço de Israel em terras brasileiras.

Altura do templo: 56 metros (corresponde a um prédio de 18 andares)

Quantidade de concreto usada: 28 mil m3 (daria para construir dois palácios do Planalto)

Toneladas de aço usadas: 2 mil

Capacidade: 10 mil pessoas sentadas

Tempo de construção: 4 anos

Número de profissionais envolvidos na construção: 25, entre engenheiros e arquitetos; 2000 trabalhadores, entre pedreiro, ajudante.

Valor: R$ 300 milhões

Iluminação: Será camuflada para simular o brilho do sol porque na época não havia energia elétrica.

Preocupação com o meio ambiente: Haverá reaproveitamento de água e tratamento acústico para evitar poluição sonora.

Material: Serão trazidas pedras da cidade de Hebron, localizada na Cisjordânia, que tem maioria árabe e fronteiras vigiadas pelo governo israelense. Desde a época do rei Salomão as pedreiras de Hebron fornecem material para as construções em Jerusalém. As pedras serão enviadas para São Paulo via mar Mediterrâneo, pelo porto de Ashdod. Serão 12 mil quilômetros, 30 dias de viagem.

Pedra fundamental do templo: Foi lançada na semana passada, pelo bispo Edir Macedo e mais 70 mil pessoas que compareceram ao evento.

História do templo do rei Salomão: Os relatos estão registrados na Bíblia. O templo começou a ser construído pelo rei Davi. Ele morreu e foi o rei Salomão quem terminou a obra. Deus orientou as medidas do templo que foi construído em Jerusalém, no ano 960 a.C. Tinha pedras e madeiras nobres. Era revestido de ouro. Somente o sacerdote entrava no templo para oferecer sacrifício. Somente o sumo sacerdote entrava no santo dos santos, um cômodo totalmente reservado dentro do templo. A arca da aliança, em ouro, ficava no santo dos santos, continha as tábuas dos 10 mandamentos que Deus deu a Moisés.

Quatro séculos depois da construção o templo foi destruído por invasores da Babilônia. A arca desapareceu.

Anos depois um segundo templo foi reerguido, mas destruído pelos romanos no ano 70 d.C. Os judeus ficaram, pela segunda vez, sem o símbolo máximo de sua fé.

Os judeus nunca fizeram novo local de adoração. Atualmente, no lugar aonde era o templo, há a Mesquita de Omar (também chamada de Domo Dourado) que é muçulmana. Conflitos entre árabes e a religião islâmica impede a construção de nova obra no local.

O que restou do templo de Salomão foi uma parede que, na verdade, era o muro que cercava e protegia a construção bíblica. Hoje essa parede é o Muro das Lamentações, em Jerusalém. Esse é o único vestígio do templo de Salomão que está em pé.

Fique por dentro

Para ver o vídeo com imagens virtuais do templo, acesse o R7:

http://noticias.r7.com/videos/busca/?q=templo de salomão igreja universal

10 de set de 2010

Longa vida ao Corão, sem cinzas

O pastor americano Terry Jones desistiu de queimar o Corão, livro sagrado dos muçulmanos. Ele queria fazer a fogueira em protesto ao atentado terrorista ao World Trade Center, em Nova York, há nove anos. O pastor também é contra a construção de uma mesquita muçulmana bem próxima ao local onde aconteceu o atentado. O ímã Feisal Abdul Rauf concordou em mudar o local onde será a construção.

Muitas pessoas e entidades foram contra o ato da queima. Até o presidente Barak Obama e a Interpol alertaram para o risco. Temem-se novos atentados em represália ao gesto. Ainda há risco de os americanos sofrerem violência ou descriminação em países estrangeiros.

O livro nem foi queimado, de fato, e já surgiram protestos. Muçulmanos indianos pisaram na bandeira dos Estados Unidos. Cristãos paquistaneses queimaram um boneco do pastor, em Lahore. Todos entendendo que a queima do Corão é um ato de profanação do livro sagrado do islã.

9 de set de 2010

Pastor quer queimar o Corão

O secretário geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, manifestou-se perturbado com a intenção de um grupo batista norte-americano de queimar, no próximo 11 de setembro, exemplares do Corão, o livro sagrado muçulmano. A fogueira seria em protesto aos atentados terroristas no World Trade Center.

Também manifestaram-se contra o ato Hillary Clinton, o Vaticano e a Igreja Batista da Alemanha.

O evangélico e o voto ético

Há evangélicos que dizem que a Igreja não deve se envolver em política. Há outros que acreditam que deve, sim, pois as decisões políticas afetam a vida de todos os cidadãos, de todas as religiões, e ainda há leis que podem prejudicar o segmento evangélico.

Esse grupo defende representatividade evangélica nos órgãos públicos. O Reino de Deus é eterno. A política não o deterá.

Mas a Igreja ainda vive no mundo terreno, onde muitas decisões afetam os crentes tanto para o bem quanto o oposto.

Deus não manda seus filhos entrarem na política, mas também não diz para não fazê-lo. A cidadania terrena não anula a dos céus, nem vice-versa. É uma opção pessoal.Mas quem opta por envolver-se com a vida pública deve fazê-lo com respeito e ética.

Evangélico deve orar ou agir?Os dois, mas cada um no tempo certo. Orar deve ser sem cessar, sempre. Em período de eleições, é preciso agir. É preciso votar.

Mas como agir de maneira correta, de acordo com os princípios da fé cristã?

Nas eleições, os líderes evangélicos precisam entender que não vale mais o voto de curral, de cabresto.

Cada cidadão é livre para expressar sua vontade. Por isso, é de todos a responsabilidade de escolher bem o candidato.Deve-se votar com consciência.

Muitas pessoas dizem que a Igreja não pode se omitir. É verdade. Mas não se omitir não significa abraçar um candidato e defendê-lo em público. Como ficam as outras pessoas que não concordam com aquele candidato? Não vale direcionar o voto dos membros da Igreja. Líderes não devem indicar um candidato. Não se omitir significa debater com todos os candidatos e com profissionais formados na área política que possam trazer ao público informações que esclareçam e acrescentem. A informação correta é a primeira arma para grandes mudanças.

Não vote em político em troca de favor pessoal ou para um grupo específico. A política deve ser pela coisa pública, pelo bem de todos. Voto de interesse para obter favores futuros é politicagem.

Evangélico político e político evangélico: qual a diferença? É simples. O primeiro é um cidadão que visa o bem comum, além de ter os princípios de Deus no coração. O segundo é o corporativista, que visa apenas a defender um grupo, que busca interesses próprios e serve-se do Estado brasileiro. Político verdadeiro serve a toda a nação.

Qual a melhor saída para que cada membro da Igreja escolha um candidato? Promova um debate. Convide todos os candidatos que concorrem. Pergunte, analise. Mas esse debate deve ser em horário contrário ao culto, com divulgação clara para a igreja que se tratará de um evento específico. Assim, quem participar voluntariamente saberá do que se trata e não será manipulado. Lembre-se: púlpito não é palanque.

Meu artigo foi publicado no Correio Braziliense, caderno Cidades, página 26, de 6/9/10.

7 de set de 2010

Correio Braziliense publicou meu artigo

O Correio Braziliense, caderno Cidades, pág. 26, na coluna Correio do Brasiliense, de 6/9/10, publicou meu artigo com o título O evangélico e o voto ético.

Acesse: http://buscacb2.correioweb.com.br/correio/2010/09/06/ASX26-0609.pdf

6 de set de 2010

Record bate a Globo

Pela primeira vez a Record venceu a audiência e a Globo ficou em segundo lugar.

Os números são do Ibope:

Record – 12.5;

Globo – 12.3;

SBT – 10.5.

A audiência foi medida no dia 5 de setembro, das 7h à 0h, no Rio de Janeiro. Cada ponto no Ibope corresponde a cerca de 37 mil domicílios.

A Globo existe há 45 anos. Em todo esse tempo, era líder em audiência. Nenhuma outra emissora chegou sequer a empatar na liderança com a Globo na história da televisão brasileira. A hegemonia caiu, pelo menos durante um dia. O fato ficará na história.

4 de set de 2010

TV faz aniversário

A TV brasileira completa 60 anos no dia 18 de setembro, data que aconteceu a primeira transmissão da TV Tupi, em São Paulo.

A menina Sonia Durce, com cinco anos, fantasiada de índia, disse a frase inesquecível: “Está no ar a TV no Brasil”.

O país adotou o modelo de TV dos Estados Unidos. Foi Assis Chateaubriand que criou a Tupi e distribuiu 200 televisores para garantir a audiência da primeira transmissão.

De 1950 a 2010 houve grande mudança. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), comprova que há mais aparelhos de TV do que geladeira nas casas brasileiras.

Os números:

98,2% dos domicílios têm fogão;

95,1% têm TV;

A geladeira fica em terceiro lugar e o rádio em quarto.

3 de set de 2010

Eleições 2010

Confira depoimento do Pr. Paschoal Piragine Júnior, da Primeira Igreja Batista de Curitiba.

Acesse no Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=ILwU5GhY9MI&feature=email

2 de set de 2010

Giro gospel

Ana Paula Valadão, do Diante do Trono, vestiu-se de cowgirl para gravar, em Barretos, São Paulo, o 13º CD e DVD Tua Visão. Ela arrasou!

Marina Silva, candidata do Partido Verde à presidência da República, lançou sua biografia, Marina A Vida por uma Causa, pela Editora Mundo Cristão.

A Sociedade Bíblica do Brasil lançou a Bíblia do Surfista.

Fernanda Brum, cantora e pastora, defende a causa anti-aborto. Parte da renda do novo CD, Glória, será destinada ao grupo de Apoio a Mulheres numa Gravidez Indesejada (Amgi).

A Expocristã, maior feira do segmento da América Latina, vai levar multidão ao Expo Center Norte, de 7 a 12 de setembro. Fala-se em mais de cem mil pessoas visitando a feira. Depois vai acontecer a ExpoMusic. Os melhores da música estarão presentes. Será de 22 a 16 de setembro.

1 de set de 2010

Aline Barros na TV

A Rede TV!, canal 6, no programa Manhã Maior, levou ao ar entrevista e músicas da cantora gospel Aline Barros, ontem, 31 de agosto.

Muito boa iniciativa. Abrir espaço para os cantores evangélicos que são muito discriminados e afastados da TV aberta no Brasil.

Mês passado, no Domingão do Faustão, da Globo, Aline Barros e Fernanda Brum foram convidadas para cantar. Fiquei impressionada porque a Globo é uma emissora que "bate" nos evangélicos. Parabéns pro Faustão!