29 de abr de 2011

Sou de Brasília

Da terra sonhada por autoridades eclesiásticas e políticas.

Aliás, autoridade é o que não falta por aqui.

Do centro do poder, como bem disse JK, emanam as leis que nortearam a vida dos brasileiros.

Sou da cidade das múltiplas culturas brasileiras.

Tem um pedaço de Minas, um pedacinho do Rio Grande do Sul, pedação de Natal, outra parte é do Amazonas.

Sou da cidade do verde, área ampla, traços retos e firmes que formam uma arquitetura única. Patrimônio cultural da humanidade.

Sou da cidade do Congresso Nacional, da Torre de TV, do lago Paranoá, da Feira do Guará, dos cantinhos nas asas Sul e Norte onde a galera se encontra nos pubs e barzinhos. Mas também há espaço para os cafés com as amigas depois do expediente, para um bom happy hour.

Cidade da cultura, dos museus. Malabaristas tentando ganhar a vida nos semáforos, bailarinas ensaiando nas academias. Música em cada entardecer nas calçadas onde se encontram os amigos, os namorados. Basta andar pela Asa Sul para ver a cena.

Cidade, capital da esperança. Tem Taguatinga, Sobradinho, Candangolândia, Park Way, Lago Norte, Sudoeste. Para não ficar no passado, terá também o Noroeste. Tem um parque amplo onde ainda é possível caminhar, ver os patos no lago pequeno que contorna o verde. Lago que reflete o sol brilhante a cada final de tarde.

Brasília cidade de céu azul, bem azul. Tardes inesquecíveis com sol amarelado, laranjado, meio vermelho. Terra da secura e baixíssima umidade no inverno e com flores de ipês amarelos e cor de rosa na primavera. À noite estrelas brilham nas alturas. O céu aqui é bem visto, pois a região é aberta.

Lugar de tomar sorvete, ir ao shopping no sábado, conhecer bons restaurantes. De comida chinesa, americana, mexicana, francesa. Tem de tudo um pouco. As embaixadas refletem a amizade que norteia o nosso povo e os povos estrangeiros.

Cidade dos funcionários públicos, onde se busca qualidade de vida e alto padrão. Estudar, então, torna-se essencial para vencer. Alto nível de escolaridade entre a população.

As árvores da Asa Sul dão um charme especial à região. As igrejas dão o toque de arte. Catedral, Batista Central, Dom Bosco. Desenhos singulares que mostram fé e beleza.

Minha cidade. Nasci, cresci, venci por aqui. Deus seja louvado na minha cidade. Seja engrandecido no coração de cada brasiliense e cada brasileiro que escolheu Brasília para ser feliz.

Casamento real na imprensa

O mundo se mobilizou para assistir, ao vivo, o casamento real de William e Kate Middleton, na Abadia de Westminter, em Londres, hoje, 29 de abril. Foram dois bilhões de telespectadores em 150 países.

A imprensa foi a responsável por transmitir a cerimônia luxuosa. A TV foi a mais assistida e continua sendo o maior meio de comunicação mundial.

Na TV aberta, a Globo, a Record e a Record News transmitiram a festa ao vivo com repórteres nas ruas, apresentadores nos estúdios recebendo comentaristas para informar sobre assuntos específicos.

A Globo, por exemplo, contou com Glória Kalil para comentar sobre moda, teve um bispo para dar informações sobre a cerimônia e a religião anglicana e um diplomata para comentar os aspectos políticos internacionais do que representa o casamento.

A Record optou por colocar a repórter Adriana Araujo nas ruas de Londres mostrando detalhes da festa como a população nas ruas emocionada (um milhão de pessoas), acenando, gritando, com bandeiras nas mãos.

A internet também teve seu papel, principalmente porque tem uma característica diferente. Ao contrário da TV – onde o telespectador somente recebe a informação passivamente -, na rede pessoas comuns puderam opinar, enviando mensagens em portais que abriram espaço para a interatividade social.

Portais como o Correio Braziliense, R7, G1 e Estado de São Paulo transmitiram o cortejo ao vivo, publicaram fotografias, comentários dos internautas com moderação da empresa, espaço para o Twitter e comentários sobre a moda usada na catedral.

O conto de fadas tornou-se notícia mundial rendendo pontos na audiência.

Por que um casamento tornou-se notícia mundial? Por que a imprensa se interessa pela pauta? Simples. Cobrir o evento é mostrar o luxo, matar a curiosidade das multidões, render audiência e, consequentemente, ganhar mais dinheiro, retratar um país rico, a tradição inglesa, a família real que, por si só, já é destaque mundial. A realeza inglesa torna-se mais pomposa quando divulga que a cerimônia custou 80 milhões de reais, pagos em pequena parte pela família da noiva e, na quase maioria, pela fortuna pessoal da rainha Elizabeth II. Mas especula-se muito sobre esse valor. Uns dizem que o gasto foi menor. Os tablóides ingleses falam em cifras maiores. Quem saberá ao certo?

Lucro certo para todos. Prestígio que não tem preço.

Um dado merece comentário para entender o poder da mídia. No Brasil, a TV tem uma especificidade. As residências têm mais aparelhos de TV do que geladeiras. Isso mesmo. Dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD) mostram que a geladeira perde para a televisão (89,2% contra 93%). Isso significa dizer que nove em cada 10 casas têm um aparelho de televisão. A pesquisa da PNAD é realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

27 de abr de 2011

Jornalistas debatem liberdade

Uma tarde para debater a liberdade e a democracia no Brasil. Com nomes expressivos da comunicação, do direito, da política e da economia, a Fundação Assis Chateaubriand e os Diários Associados (Correio Braziliense) organizaram o Seminário Liberdade e Democracia.

Diante de tanto debate, percebe-se que a confusão e a desinformação são os maiores vilões da liberdade de imprensa no Brasil.

Os painéis foram:

A liberdade de expressão e sua dimensão político-jurídica no fortalecimento da democracia foi o primeiro painel, com Miro Teixeira, deputado federal (PDT/RJ), e Márcio Chaer, diretor de redação da revista eletrônica Consultor Jurídico.

A relação entre informação e o desenvolvimento da sociedade, com Cláudio Weber Abramo, diretor-executivo da Organização Transparência Brasil, e Gil Castello Branco, secretário-geral da Associação Contas Abertas.

Liberdade de expressão na era das novas mídias, com o debate de Gustavo Krieger, jornalista e diretor-executivo da FSB Comunicação, e Marco Aurélio Rodrigues da Cunha, advogado especialista em direito constitucional e liberdade de expressão.

Depoimentos

“O preço da liberdade é a vigilância constante. A chama da liberdade deve permanecer acessa para o progresso e a evolução da comunidade brasileira. A história dará o valor devido a Assis Chateaubriand que será coroado como figura importante na comunicação do Brasil. Ele queria a integração nacional.”
Álvaro Teixeira da Costa, presidente dos Diários Associados

“Os déspotas não são contra a liberdade. Eles são contra a liberdade alheia. Querem exercer a liberdade para os seus próprios desmandos e querem ficar impunes.”
Miro Teixeira, deputado federal (PDT/RJ), advogado e jornalista

“Não há como falar em liberdade de expressão se não dermos à sociedade o direito de se manifestar e ter informações corretas. Sem transparência e acesso à informação, por parte da sociedade, é uma balela falar sobre liberdade. Os burocratas do governo não são proprietários das informações. Eles detém as informações enquanto exercem uma função. Os donos das informações somos nós, a sociedade. Temos que mudar essa cultura no Brasil. Informação é direito essencial da população.”
Gil Castello Branco, secretário-geral da Associação Contas Abertas

“O acesso à informação é importante para que se conheçam as múltiplas decisões tomadas pelo governo e, muitas vezes, são protegidas. Os órgãos públicos podem negar ou procrastinar a darmos informações. A Transparência Brasil estimulou o governo federal a fazer valer o artigo 5, inciso 33, que dá o direito das pessoas de ter informação e o artigo 37 que define que o Estado tem o dever de dar publicidade ao seus atos. Promulgar uma legislação é importante, mas não é suficiente para que a informação circule. A imprensa, ONGs, associações de bairros e profissionais são os meios pelos quais as informações podem chegar à sociedade. Na ausência ou debilidade desses intermediários, a informação chega mal para o público.”
Cláudio Weber Abramo, diretor-executivo da Organização Transparência Brasil

“Informação diante das novas mídias será uma revolução que só estamos começando a sentir o início. Hoje, com a informação aberta às novas mídias, a pessoa pode ser o dono, o diretor e a última opinião do seu próprio veículo de comunicação. Essa é uma grande transformação que os governos e a imprensa terão que lidar. As pessoas não são receptoras de informação. São produtores de informação e o alcance do que se faz terá a ver a excelência do trabalho que desenvolve. As pessoas têm facilidade de consumir, ter acesso à informação. Hoje eu acesso informações de qualquer computador, de minha casa, e posso retransmitir. As redes sociais dão a chance para que cada pessoa seja o seu veículo de informação.”
Gustavo Krieger, jornalista e diretor-executivo da FSB Comunicação

Seminário Liberdade e Democracia

Participo hoje, no Brasil 21, do Seminário Liberdade e Democracia, organizado pela Fundação Assis Chateaubriand, com apoio dos Diários Associados, conjunto de empresas da qual o Correio Braziliense faz parte.

Em debate, a informação livre e responsável, papel de todos os comunicadores brasileiros. Os jornalistas devem ser os primeiros a defender essa bandeira, pois muitos colegas sofreram censura no período militar. Ainda hoje, apesar da liberdade garantida na Constituição, aqui e ali aparecem vultos e sombras de alguém querendo tirar-nos a liberdade de expressão e trabalho.

Liberdade e democracia são valores caros. Símbolos de dignidade para as pessoas. A liberdade é a garantia da livre circulação das idéias.

26 de abr de 2011

Exposição sobre a religião islâmica

Islã: arte e civilização é a nova exposição que reúne 300 peças, cobrindo 13 séculos da civilização islâmica.

Data: 26 de abril a 3 de julho de 2011

Local: Centro Cultural Banco do Brasil

Endereço: SCES, Tr. 2, Lt. 22 - Asa Sul

Telefone: (61) 3310-7087

Horário: 9h às 21h (de terça a domingo)

Entrada franca

24 de abr de 2011

Jesus histórico

Para assistir ao programa Canal Livre, da Band, sobre Jesus histórico, acesse:

http://www.band.com.br/canallivre/videos.asp?v=2c9f94b62f699cdc012f6a8d040506f0

23 de abr de 2011

100 anos da Assembléia de Deus no Brasil

De 1911 a 2011. A Assembléia de Deus completa um centenário. A festa será de 5 a 19 de junho.

Informações:

http://www.blogger.com/goog_123103505


http://www.%20centenarioassembleiadedeus.com.br/

22 de abr de 2011

Páscoa, momento de fé

Páscoa significa passagem em hebraico. Antes do nascimento de Jesus Cristo, já era celebrada pelos judeus, que comemoravam a data com o sentido de liberdade, após 400 anos de escravidão no Egito. Para os cristãos significa renascimento de Cristo e sua ascensão ao céu, dois dias depois da morte na cruz.

A adoção dos ovos como símbolo da data está ligada ao fato de que o ovo, aparentemente morto, contém uma vida que aparece subitamente. Antigamente, para diferentes povos, representava a criação e a fecundidade. Normalmente eram pintados e oferecidos aos amigos nas ocasiões festivas. A partir do século 19, com o desenvolvimento da indústria de chocolates, os ovos de Páscoa passaram a ser de chocolate. Foi nessa época que a Igreja Católica adotou o ovo oficialmente como símbolo da Páscoa. Eles eram escondidos nas ruas e nos jardins para serem procurados. Até hoje, os ovos de galinha pintados são tradição em muitos países, como na Polônia e na Ucrânia.

O coelho também é outro símbolo da festa. Mesmo não botando ovos, é ele quem os traz. A tradição nasceu na Alemanha, há muitos séculos. Costumava-se dizer às crianças que os coelhos levavam os ovos e os escondiam nas plantas. Na manhã do dia da Páscoa as crianças procuravam os ovos escondidos pelos coelhinhos.

A Páscoa sempre é comemorada 40 dias após a Quarta-Feira de Cinzas, simbolizando o fim da Quaresma.

Mas os ovos de chocolate e os coelhinhos não podem roubar a cena. Jesus é quem deve ser lembrado e adorado. Foi Ele quem morreu e ressuscitou para religar o homem a Deus. Jesus é o Salvador. Ele é o símbolo maior da Páscoa.

Páscoa é a sexta-feira da paixão, o sábado de aleluia, mas, principalmente o domingo. Pela manhã bem cedo, mulheres foram ao túmulo, mas o Rei não estava lá. Jesus havia ressuscitado. Essa é a vitória dos cristãos. Hoje podemos ter vida eterna porque Jesus venceu a morte e nos religou a Deus.

21 de abr de 2011

Tiradentes e Cia: História reconstituída

Um momento único aconteceu hoje em Ouro Preto, Minas Gerais. Os restos mortais de três inconfidentes, José de Resende Costa, João Dias da Mota e Domingos Vidal de Barbosa foram depositados no Panteão do Museu da Inconfidência.

Os inconfidentes foram enviados para uma colônia portuguesa na África. Duzentos anos depois das mortes, as ossadas foram sepultadas em terras mineiras, depois de serem estudadas e identificadas pela Faculdade de Odontologia da Unicamp, em Piracicaba, São Paulo. Os estudos para a devida identificação acontecem desde 1980. Todos os ossos foram repatriados da África para o Brasil em 1930.

José, João e Domingos agora estão sepultados junto a outros 13 inconfidentes. Todos contemporâneos e lutadores junto com Tiradentes.

A solenidade contou com a presença da presidente Dilma Rousseff. Foi um ato que marca mais um capítulo da história do Brasil.

Hoje, 21 de abril, é feriado dedicado a Tiradentes, além do aniversário de Brasília que completa 51 anos.

19 de abr de 2011

Considere o ainda

Você tem uma promessa de Deus e não a recebeu.

Lembre-se do ainda.

Você ainda não recebeu porque há um tempo certo para todos os propósitos.

Mas certamente Deus é fiel.

15 de abr de 2011

Borboleta

Voar de flor em flor. Essa é a vida da borboleta. Leve, colorida, suave, encantadora, delicada.


A vida da borboleta tem quatro ciclos. Do ovo à larva, do casulo à vida adulta para o vôo da liberdade que todos admiram.

Mas poucos se lembram que, antes de ser tão bonita, ela foi um ovo, depois uma lagarta escondida dentro de um casulo, com forma gosmenta, com aspecto de verme e muitas vezes venenosa. Sozinha passa por várias mudanças até atingir a maturidade.

De lagarta a borboleta. Quanta diferença, uma metamorfose. A mudança é grande demais.

O que você prefere ser e se sentir: Uma lagarta ou uma borboleta?

Jesus nos convida à alegria. Ele é a fonte da alegria. Também diz que devemos viver levemente. Afirmou que devemos tomar o “Seu jugo que é leve e suave” e descansar nEle.

Que convite imperdível: Descansar em Deus, crer, enquanto Ele trabalha a nosso favor.

13 de abr de 2011

Dia do Beijo

Hoje, 13 de abril, é dia de beijar muito. É o Dia do Beijo.

Vai deixar a data passar em branco?

Vale dar um beijo no melhor amigo, no filho, na mãe, no namorado, no cônjuge.

Você conhece os tipos de beijo?

Há beijo frio, ardente, apaixonado, selinho, no rosto, seco e molhado.

Beijar é super sedutor. Vem depois de olhares e palavras.

É uma maneira de demonstrar carinho.

Movimenta 29 músculos (17 destes só da língua). Também queima caloria ajudando a emagrecer. Melhora o humor porque libera o hormônio serotonina, o que produz bem-estar.

Bíblia, livro singular

Imagine um livro assim:

Escrito ao longo de 1500 anos;

Por 40 autores;

Em três línguas distintas (grego, hebraico e aramaico);

Dividido em duas partes: Antigo e Novo Testamentos

Escrito em locais, épocas, culturas, políticas e economias diferentes;

Imaginou?

Esse livro teria unidade?

Pois a Bíblia tem.

Como consegue essa unidade diante de tantas diferenças?

Porque foi inspirada pelo Espírito Santo. A Bíblia, apesar de tantos autores, teve a mente de Deus influenciando seus autores. Isso é o que acredita os cristãos.

Como provar?

Não tem provas físicas sobre a inspiração e a revelação divina para a redação da Bíblia.

É uma questão de fé. Ou você crê ou não crê.

A Bíblia é o livro mais vendido na atualidade.

11 de abr de 2011

Livro Brasília 50 anos. Uma idéia, uma nação

O livro, do escritor Paulo Fayad, Ed. Voz de Brasília, conta a história da capital do Brasil com mais de 200 fotos sobre fatos marcantes, em um total de 400 páginas.

Pela primeira vez tive meu texto publicado em um livro. Já tive vários artigos publicados nos jornais da cidade, já até fiz propaganda para o Correio Braziliense no site, no rádio e na TV. Mas ter o meu texto em um livro, é a primeira vez, e isso me encheu de alegria. Assino o trabalho em parceria com Ana Paula Souza. Juntas, fizemos o nosso trabalho de Jornalismo. Ouvimos as fontes, entrevistamos, redigimos. Escrever reportagens contando boas histórias é sempre uma delícia para mim.

O meu texto está nas páginas 330 e 331, com o título 50 anos de evangelismo na capital. A narração é sobre as igrejas evangélicas que vieram para Brasília antes mesmo da construção da cidade.

Muitos pastores organizaram cultos ao ar livre, debaixo de árvores, em meio à poeira e ao calor do cerrado. Um desses pastores foi Elias Brito Sobrinho. A minha reportagem traz uma entrevista com Alcione Benides Nogueira Brito, esposa do pastor Elias.

Nas páginas 332 e 333 está uma fotografia da fachada da Igreja Batista Central de Brasília. A Batista Central foi a única igreja evangélica representada na obra. Também há fotos de igrejas católicas como a Catedral, a Rainha da Paz e a Igrejinha do Núcleo Bandeirantes, construída em 1957.

Patrimônio histórico da humanidade, Brasília fará 51 anos no próximo dia 21 de abril. As marcas do presente e as esperanças para o futuro se acendem. Estamos na cidade aonde são tomadas as maiores decisões do País. Esse é o olhar para o horizonte, o futuro da nação.

Além de olhar o futuro, o livro também homenageia as pessoas do presente, além – claro, de não esquecer quem fincou os marcos.

Há textos e fotografias contando desde o sonho de Bom Bosco, as leis, as personagens que construíram a cidade, o sonho de JK, as regiões administrativas, as empresas de sucesso, os chefes de Estado que visitaram Brasília, a cobertura da festa do cinqüentenário, os governadores e uma comparação com imagens do início da cidade e as ruas hoje.

O livro faz parte das comemorações oficiais do cinqüentenário da Capital, organizadas pelo Comitê Organizador dos 50 anos de Brasília, ligado ao Governo do Distrito Federal.

Um presente para a geração brasiliense e para todas as pessoas que amam Brasília. O livro é uma obra de arte em forma de letras e imagens.

Sem véu na França

As muçulmanas que vivem na França foram proibidas de usar o véu integral. A nova lei atinge duas mil mulheres.


O véu integral (burca ou niqab) cobre todo o corpo da mulher, deixando somente uma abertura, via tela, na altura dos olhos. A proibição será nos espaços públicos como prédios estatais, hospitais, agências de correios, transportes públicos e lojas.

O descumprimento deverá ser punido com multa de 150 euros (US$ 216) ou um curso de instrução cívica.

Entrando em vigor hoje, a lei causa polêmica porque o véu faz parte da religião muçulmana. Mulheres protestaram em frente à Catedral de Notre Dame e no Palácio do Eliseu, sede da presidência francesa.

A França é o primeiro país europeu a adotar a medida. Autoridades justificam a medida afirmando que é por segurança.

9 de abr de 2011

Curso de redes sociais

Dando um alô para te dizer o que ando fazendo.

Hoje estou realizando um curso muito legal, para me atualizar quanto ao melhor uso das redes sociais.

Quero melhorar sempre. Afinal, quero me comunicar com vocês via Facebook, Youtube, Orkut, Twitter, etc.

Aguarde novidades.

5 de abr de 2011

João Paulo exumado e beatificado

No final de abril, dia 29, o corpo do papa João Paulo 2º será exumado em Roma, no Vaticano.

O corpo será colocado na Cripta Vaticana, em uma maca, coberto por um manto branco, diante do túmulo de São Pedro. O público não poderá visitar o local.

Depois, dia 1º de maio, ele será beatificado (bem aventurado, santo), em cerimônia presidida pelo papa Bento 16.

Lançamento do livro Brasília 50 anos. Uma idéia, uma nação

O Brasília e Região Convention e a Editora Voz de Brasília lançam o livro Brasília 50 anos. Uma idéia, uma nação.

Eu tenho a alegria de participar desse projeto singular, uma vez que meu texto sobre evangelismo faz parte da obra.


Coquetel de lançamento

Data: 5/4/11

Horário: 20h

Local: Naoum Plaza Hotel

Endereço: SHS Qd. 5 Bl. H – Asa Sul – Brasília - DF

3 de abr de 2011

Pastor queima Alcorão e explode violência no Afeganistão

Os fatos

Na última semana 20 pessoas foram assassinadas por fundamentalistas no Afeganistão. Entre as vítimas, sete funcionários das Nações Unidas.

Mais de mil pessoas cercaram o prédio da ONU, na cidade de Mazar-I-Sharif, e abriram fogo contra inocentes.

As manifestações criminosas e sangrentas foram em protesto ao pastor americano Terry Jones, que vive na Flórida, que colocou fogo no Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos. O alvo foi a ONU, mas a guerra é contra qualquer fonte americana.

Na cidade de Herat e na capital afegã, Cabul, também houve protestos.

O contexto

Ano passado, o pastor Jones criou uma polêmica nacional ao ameaçar queimar o Alcorão em protesto contra a construção de um centro islâmico perto de onde ficavam as Torres Gêmeas, em Nova York. Acabou desistindo.

Mas há duas semanas ele resolveu colocar em prática a idéia que assustava o mundo. Na igreja do pastor Jones vendem-se camisetas e xícaras escritas “o Islã é do demônio”.

Minha opinião

Lamentável, irresponsável, intolerante e antibíblico o comportamento do pastor americano que queimou o livro sagrado dos muçulmanos. Isso é inaceitável, injustificável. Ele pode não concordar com a fé islâmica, mas deve respeitá-la.

Mesmo com a desculpa de que foram insultados e desrespeitados em sua religiosidade, também não posso concordar com o massacre aos funcionários da ONU. Eles eram inocentes.

O presidente dos Estados Unidos Barak Obama também condenou o pastor. Ele caracterizou o ato como “extrema intolerância e fanatismo”.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu em caráter de emergência e condenou o ataque ao prédio das Nações Unidas no Afeganistão. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, disse que o ataque foi uma “covardia”.