24 de mai de 2011

Semana de Teologia



Estamos na Semana de Teologia da Faculdade Evangélica de Brasília (23 a 27 de maio).

Palestrei sobre A importância da Comunicação na Teologia. Conversei com os alunos sobre como dar entrevista. Os erros e acertos na hora de atender a um repórter.

Depois, o professor e pastor Marco Antonio Campos ministrou sobre A vocação do teólogo na pós-modernidade. Ainda aprendemos sobre liderança e diversidade religiosa.

Na próxima quinta-feira, dia 26, ministrarei a palestra no campus de Taguatinga Norte.

Roda de debate

Com o Grupo Mídia de Brasília, dia 26 de maio, às 19h30, no Correio Braziliense, sobre merchandising.

Inscrições gratuitas.

Site: http://www.midiabsb.org.br/

21 de mai de 2011

Beatificação de irmã Dulce

Amanhã, 22 de maio, Irmã Dulce será beatificada. Como o nome de batismo Mara Rita de Souza Brito Lopes Pontes, a freira é chamada de Anjo Bom da Bahia.

A missa de beatificação será no Parque Exposições de Salvador onde são esperados 70 mil fiéis. Entre as autoridades, a presidente Dilma Rousseff confirmou presença.

Em Salvador irmã Dulce iniciou o trabalho de acolher pessoas doentes. A partir de um terreno que era um galinheiro, fez o maior centro gratuito de saúde do Brasil. O centro, chamado de Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), abriga deficientes físicos e mentais, crianças e idosos doentes, tem 200 voluntários e recebe cerca de cinco mil pacientes diariamente. Irmã Dulce morreu em 1992.

Entendendo a beatificação
Beatificar uma pessoa significa reconhece que a mesma está no paraíso e pode interceder por todas as pessoas que, em oração, clamam por uma bênção. Esse é o entendimento da Igreja Católica. É uma veneração à pessoa. Depois da beatificação, vem a canonização, onde a pessoa é considerada santa.

Minha opinião
Estão adorando a criatura ao invés do Criador: Deus. Beatificar a Irmã Dulce é reconhecer, pela Igreja Católica, que a freira pode interceder a Deus pelas pessoas. Então estão substituindo Jesus por Dulce.

A Bíblia diz que somente Jesus Cristo é o intermediador entre o homem e Deus. Isso porque Ele morreu na cruz e ressuscitou para religar a humanidade ao Pai.

A Bíblia também diz que devemos adorar e orar somente a Deus, por meio de Jesus. Irmã Dulce deve ser respeitada pelo trabalho social valioso que fez. Mas ela não pode ser mediadora entre as pessoas e Deus.

Por que a Igreja Católica não explica a Bíblia para as pessoas? Basta ler e ver que a Bíblia condena qualquer objeto ou pessoa que possa substituir o lugar de Deus, de Jesus ou do Espírito Santo.

18 de mai de 2011

PL 122

Sou contra a PL 122.

Eu mandei meu protesto para a imprensa, publico aqui no meu blog, conversei com meus colegas estudantes de Teologia, mandei e-mails para os senadores.

Sou a favor da Constituição que me garante o direito de expressão.

Dizer que não concordo com o comportamento homossexual não é agredir, discriminar ou ridicularizar os gays.

O PL quer colocar na cadeia as pessoas que se manifestarem contra a prática homossexual. Ou seja: Ou eu concordo com eles ou fico calada. Se o PL for aprovado, não poderei mais dizer que discordo senão será entendido como discriminação e isso será crime.

Assim não dá.

Gays, a discussão do momento

Manifesto contra a PL122
http://www.vitoriaemcristo.org/_gutenweb/_site/hotsite/PL-122/


Senadores vão remodelar texto contra a homofobia em busca de aprovação
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/2011/05/18/internas_polbraeco,252690/senadores-vao-remodelar-texto-contra-a-homofobia-em-busca-de-aprovacao.shtml

Evangélico tentam limitar direitos dos gays
http://www.blogger.com/goog_1766610791
direitos-dos-gays.shtml

Assim como a Igreja Católica, evangélicos rejeitam união gay
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2011/05/14/interna_cidadesdf,252183/assim-como-a-igreja-catolica-evangelicos-rejeitam-uniao-gay.shtml

16 de mai de 2011

Manifestação contra o PL 122

O pastor Silas Malafaia liderará uma manifestação dos evangélicos contra o PL 122. A manifestação será em nova data: 1º de junho, às 15h, em frente ao Congresso Nacional, em Brasília.

O PL 122 criminaliza qualquer ação, opinião ou crítica que venha a ser interpretada como discriminação ou preconceito quanto ao homossexualismo no Brasil, com pena de dois a quatro anos de prisão.

Sendo assim, fere a liberdade religiosa e de expressão, direitos garantidos pela Constituição, expressas no artigo 5º, incisos 4, 6, 8 e 9.

Todos podem ajudar nessa luta em favor da família e da liberdade de expressão. Entre no site do Senado e envie para os representantes do seu estado: "Sr. Senador, rejeite o PL122/2006. Em favor da família, em favor da liberdade de expressão e abaixo a pedofilia."

12 de mai de 2011

CNBB diz não à união homoafetiva

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de reconhecer a união estável entre pessoas do mesmo sexo é criticada pela cúpula da Igreja Católica.

E os evangélicos, o que dizem? Até agora não se pronunciaram.

Eu sou evangélica e concordo com a crítica dos padres. Respeito os casais gays, mas não concordo com essa escolha de vida.

Abaixo, publico parte da nota emitida pela CNBB.

Nota oficial

A diferença sexual é originária e não mero produto de uma opção cultural. O matrimônio natural entre o homem e a mulher, bem como a família monogâmica, constituem um princípio fundamental do direito natural. As Sagradas Escrituras, por sua vez, revelam que Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança e os destinou a ser uma só carne (cf. Gn 1,27; 2,24). Assim, a família é o âmbito adequado para a plena realização humana, o desenvolvimento das diversas gerações e constitui o maior bem das pessoas.

(…)

As pessoas que sentem atração sexual exclusiva ou predominante pelo mesmo sexo são merecedoras de respeito e consideração. Repudiamos todo tipo de discriminação e violência que fere sua dignidade de pessoa humana (cf. Catecismo da Igreja Católica, nn. 2357-2358).

As uniões estáveis entre pessoas do mesmo sexo recebem agora em nosso país reconhecimento do Estado. Tais uniões não podem ser equiparadas à família, que se fundamenta no consentimento matrimonial, na complementaridade e na reciprocidade entre um homem e uma mulher, abertos à procriação e educação dos filhos. Equiparar as uniões entre pessoas do mesmo sexo à família descaracteriza a sua identidade e ameaça a estabilidade da mesma.

(…)

É atribuição do Congresso Nacional propor e votar leis, cabendo ao governo garanti-las. Preocupa-nos ver os poderes constituídos ultrapassarem os limites de sua competência, como aconteceu com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal. Não é a primeira vez que no Brasil acontecem conflitos dessa natureza que comprometem a ética na política.

6 de mai de 2011

Os evangélicos, os gays e o Supremo Tribunal Federal


Os fatos

O Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, em 5 de maio, a união estável entre casais do mesmo sexo como entidade familiar.

Na prática, uniões homoafetivas ou homossexuais têm os mesmos direitos das uniões heterossexuais. Direitos esses previstos na lei 9.278/1996, que considera como entidade familiar a “convivência duradoura, pública e contínua”.

Mas quais são esses direitos garantidos? Divisão da guarda e sustento dos filhos, possibilidade de pensão alimentícia, herança em caso de morte, partilha de bens em caso do fim da união e facilidades para conversão da união estável em casamento. A união estável tem o mesmo peso do casamento civil para efeitos de inclusão do companheiro em plano de saúde, por exemplo.

Mesmo com essa decisão do STF, os homossexuais não podem se casar, seja no civil ou no religioso.

O STF manifestou-se sobre o tema depois de duas ações propostas pela Procuradoria-Geral da República e pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro.

No Brasil, de acordo com o Censo Demográfico 2010, existem 60 mil casais homossexuais. Uma minoria barulhenta. Essa foi a primeira edição do recenseamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a contabilizar a população residente com cônjuges do mesmo sexo.

Minha opinião

As pessoas têm o direito de escolher a vida que desejam. Devem ser respeitadas. Eu respeito os casais do mesmo sexo, mesmo não concordando com o estilo de vida escolhido por eles.

Concordo que os homossexuais não podem sofrer preconceito e que têm direitos como todos os cidadãos brasileiros. Concordo que tenham os direitos civis reconhecidos, mas com uma exceção.

Casais gays podem comprar e gastar o dinheiro deles como quiserem. Podem deixar a herança para o companheiro, podem tê-los no plano de saúde, etc. Não vejo problema nisso. Cada um gasta o seu bem e dinheiro da forma que desejar.

Mas não concordo com casais gays adotando crianças. No futuro, como ficará a cabeça de uma criança sendo criada por duas mulheres, por exemplo? Que imagem materna e paterna essa criança terá? Certamente crescerá acreditando que essa forma de família é certa, normal, compatível com seus valores porque foi a maneira que a criança conheceu. Mas essa nova forma de família que querem criar não está de acordo com os padrões bíblicos. Isso deve ser repensado.

A Bíblia diz que homossexualidade é pecado. Uma criança não deve ser criada em um ambiente que, no futuro, a faça pensar que uma família homossexual está dentro dos padrões de Deus. Não está. Deus criou o homem e a mulher para o casamento. Assim deve permanecer porque assim é abençoado.

Futuramente, os casais gays podem querem casar nas igrejas católicas e evangélicas. Como ficará isso? E o pastor ou padre que não aceitar realizar esse casamento sofrerá punição? Isso deve ser pensado.

A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) posicionou-se contrária à decisão do STF. Pergunto: Cadê os pastores que não se manifestaram? Cadê os conselhos de pastores espalhados pelo Brasil? Ouvimos poucos pastores, poucas vozes corajosas que disseram não à polêmica. E os demais pastores, por que não se manifestaram?

5 de mai de 2011

A igreja na TV com o Pr. Silas Malafaia

O pastor Silas completa 29 anos no ar.

O programa Vitória em Cristo é apresentado ininterruptamente durante esses anos, com uma hora de duração e exibição nacional. Também é veiculado em mais 200 países.

Ele ministra o amor e a salvação de Jesus Cristo por meio da TV. São um bilhão de pessoas alcançadas.

O que isso significa? Fé e persistência.

Fé porque tem que acreditar no chamado de Deus e decidir obedecê-Lo.

Persistência porque não é fácil estar na TV. É caro, as portas nem sempre são abertas nas emissoras e existe preconceito contra os programas evangélicos.

Enfim, completar 29 anos no ar significa muito trabalho e dedicação.

1 de mai de 2011

João Paulo II é beato

O atual papa Bento XVI realiza hoje a cerimônia religiosa para a beatificação de João Paulo II (1920-2005), no Vaticano.

Ele saudou, em sete línguas, mais de um milhão de fiéis que acompanham a cerimônia. Desde ontem milhares de peregrinos lotam a praça em frente à igreja. Chefes de Estado e de Governo também foram convidados. A multidão poderá prestar homenagens ao novo beato, pois as portas da igreja ficarão abertas para visitação pública.

O caixão com os restos mortais de João Paulo II, que não foi aberto, será colocado na capela de São Sebastião, localizada dentro da Basílica de São Pedro. Ficará próximo à estátua Pietà, do artista Michelangelo.

João Paulo II foi beatificado porque curou a freira francesa, Marie Simon-Pierre Normand, de mal de Parkinson.

João Paulo II era polonês e teve um papado de 27 anos. Faleceu dia 2 de abril de 2005, aos 84 anos.

Um santo como mediador

Todo o respeito à pessoa e ao trabalho de João Paulo II. Mas não se pode aceitar que as pessoas orem/rezem a Deus por meio dele.

O que acontece hoje é que as pessoas desviam a atenção e a adoração. A Bíblia diz que devemos chegar a Deus por meio exclusivo de Jesus Cristo. Jesus é o Mediador e o Salvador da humanidade. Mas as pessoas pedem bênçãos divinas por meio dos santos e dos beatos. Isso é antibíblico.

As pessoas que assim procedem não admitem que estão reverenciando um santo nem praticando o pecado da idolatria. Mas, na prática, é isso que acontece. As pessoas afirmam que os santos e beatos são somente um bom exemplo de vida a ser seguido. Mas não é isso que vemos.

Muitas reportagens mostram as pessoas pagando penitência em agradecimento às bênçãos recebidas, pedem graças e oram em favor dos beatificados. A Igreja Católica deveria, nesse aspecto, ensinar o que a Bíblia diz: Que um santo não pode ser mediador entre Deus e os homens. Só Jesus pode.

Todo o meu respeito aos católicos. Não quero brigar nem polemizar. Só estou comentando o que a Bíblia diz.

Mas cada um tem o direito de exercer a fé que deseja e todos precisamos ser respeitados. Acima de tudo, temos que ter tolerância religiosa.