29 de jun de 2011

Vaticano preocupado com crescimento evangélico no Brasil?

O papa Bento XVI veio ao Brasil, em maio de 2007, pois a Igreja Católica estava preocupada com a perda de fiéis e com o baixo número de padres por aqui.

A informação foi divulgada ontem pela ONG brasileira Agência Pública que fez uma parceira com a WikiLeaks, uma instituição liderada por Julian Assange, que ficou famosa internacionalmente ao divulgar documentos secretos do governo norte-americano na internet.

Um documento foi enviado ao governo dos Estados Unidos, na época, pela missão americana no Vaticano, relatando os interesses da Igreja Católica no Brasil. Entre as informações confidenciais que foram vazadas, há uma conversa entre o ex-embaixador americano Francis Rooney, que assina o documento, com membros do Vaticano. O monsenhor brasileiro Stefano Migliorelli, então chefe da seção brasileira da Secretaria de Estado do Vaticano, tinha a idéia de que a América Latina não era prioridade para os católicos. Por isso, o papa viria para a terra verde e amarela, ou seja, para o Brasil.

O documento também comenta sobre o avanço do segmento evangélico no país. Rooney fez um gráfico comparativo. Veja detalhes:

1980 – Católicos eram 89% da população – Houve a visita do papa João Paulo II ao Brasil

2000 – Católicos eram 74% da população – Dados do censo 2000

Os números mostram a queda dos fiéis que estão migrando para outras religiões, principalmente para as igrejas evangélicas.

Preocupação mais ampla

Além dos brasileiros, a preocupação é com a América Latina e com o fortalecimento da Teologia da Libertação que se tornou uma ameaça. João Paulo II já teria empregado esforços em vão para combater a Teologia da Libertação. O atual papa, Bento XVI, o ajudou nessa tarefa. Ambos esforços não vingaram, pois a corrente continua mais firme do que nunca, pregando uma teologia social que tem influência na luta de classes marxista.

O lado ruim da Teologia da Libertação é o evangelho reduzido ao social, onde o homem, pela política humana, pode resolver seus dilemas. O lado positivo foi que a igreja abriu nova visão de trabalho em uma época que pouco se falava em ações sociais aliada à evangelização, idéia que hoje é muito aceita entre os cristãos.

Bombas

Mais documentos bombásticos, outros nem tanto, serão divulgados pela ONG Agência Pública que faz reportagens investigativas. No total, são 2,5 mil documentos sobre diversos temas referentes ao Brasil obtidos com a WikiLeaks. É esperar as publicações e conferir.

23 de jun de 2011

Corpus Christi: O que é?

Hojé, 23 de junho, é feriado. Corpus Christi, expressão latina que significa Corpo de Cristo, é uma festa católica que celebra a presença de Jesus na Eucaristia, um dos sete sacramentos (para os evangélicos, a Eucaristia é mais conhecida como Santa Ceia).

A Igreja Católica acredita na transubstanciação, ou seja, que o pão se torna carne e o vinho sangue de Jesus Cristo. Não é uma transformação da matéria visível. É um ato de fé.

Os evangélicos não interpretam assim. Crêem que pão e vinho (ou suco de uva) são apenas elementos que lembram a morte e ressurreição de Jesus, até que Ele volte para buscar a Sua igreja (segunda volta de Cristo), mas não que passem por transubstanciação. A passagem remonta-se à última ceia que Jesus celebrou com os discìpulos antes de ser morto.

Por recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944), a festa é realizada em praças públicas, organizada pelo bispo e pelos fiéis, na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que é posterior ao domingo de Pentecostes. Católicos são obrigados a comparecer à essa missa. Isso está estabelecido pela Conferência Episcopal.

A história da celebração é do século 13, instituída pelo papa Urbano IV (1264).

A tradição foi trazida para o Brasil pelos colonizadores portugueses. Desde então, em todas as cidades brasileiras, como no mundo, é comum ornamentar as ruas com tapetes coloridos, onde são produzidos desenhos religiosos que lembram os elementos da ceia como pão, vinho, cachos de uva, cruz.

Na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, hoje serão construídos 23 tapetes, em um total de 120 metros de arte. Cerca de 500 jovens voluntários trabalham desde cedo na produção dos tapetes que são feitos de palha de arroz, café, serragem colorida, areia e bisnagas de tintas em cinco cores básicas. Foram três meses de reuniões e preparo para que os jovens decidissem qual desenho produzir.

Estima-se que 50 mil pessoas participem da missa. São os fiéis das 128 paróquias da cidade. O arcebispo de Brasília, Dom Waldemar Passini, os bispos e todo o clero passam por cima dos tapetes rumo ao altar para celebrar a missa. Depois acontece a procissão do Santíssimo Sacramento. para fechar a festa, à noite haverá queima de fogos de artifício.

É isso que significa o feriado. Aproveite seu dia!

17 de jun de 2011

Cooperação entre Estado e Igreja

O Estado Laico e a Liberdade Religiosa foi o tema do seminário internacional promovido, semana passada, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Entre os painéis, debateu-se sobre o Estado laico, no qual há separação entre igreja e Estado, mas com cooperação mútua entre ambos.

Um dos debatedores defendeu a idéia de que o Estado laico é diferente do laicismo, que seria a absoluta separação entre as duas esferas, igreja e Estado. No Estado laico, de acordo com a palestra, existe a liberdade religiosa. “O crucifixo, por exemplo, nos lembra não apenas o fator religioso, mas uma cultura de igualdade e de liberdade”, diz o ministro Ives Gandra, Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Em um espaço democrático também existe a possibilidade de a igreja opinar sobre assuntos da esfera pública. “Os argumentos da igreja, em geral, estão relacionados a razões públicas e não religiosas, e esses argumentos devem ser levados em consideração. A igreja tem o direito de se manifestar da mesma forma que o faz a imprensa, as universidades, os sindicatos etc”, diz o ministro.

A igreja defende valores, e não interesses. Para exemplificar esse tipo de situação, foram levantados temas atuais em que a igreja se manifestou, como a união homoafetiva, o ensino religioso nas escolas públicas, dentre outros. “A escola é a extensão da família, e os pais querem que os filhos recebam valores morais e religiosos”, diz o ministro Ives Gandra.

Publicação subsidiará o Judiciário em decisões sobre Estado e religião

As conferências e os painéis apresentados durante o seminário serão organizados em uma publicação com o objetivo de fornecer ao Poder Judiciário elementos que o auxiliem em decisões sobre a relação entre o Estado e a religião.

Assuntos referentes à fé devem ser tratados sem preconceito e radicalismos. As discussões do seminário deverão contribuir, por exemplo, com o debate que o Supremo Tribunal Federal (STF) realiza sobre o ensino da religião em escolas públicas e o uso de símbolos religiosos em repartições do Estado. Segundo o presidente do CNJ e do STF, ministro Cezar Peluso, o tema será levado a plenário tão logo o ministro relator se manifeste sobre o assunto.

Nos assuntos de fé é importante respeito às diferenças, pluralidade de pensamentos e ações para que todos os credos sejam valorizados e ouvidos. É necessário um debates equilíbrado. Estado e igreja podem ser ajudar, mutuamente.

Um dos pontos lembrados no seminário foi o acordo firmado, em 2009, entre o governo federal e a Santa Sé que reconhece o direito de a Igreja Católica desempenhar sua missão apostólica no País desde que respeite o ordenamento jurídico brasileiro. Conflituoso e polêmico, esse acordo gerou críticas entre líderes religiosos que defendem que o governo não pode, constitucionalmente, fazer acordos com uma dada religião, privilegiando-a. Os evangélicos, por exemplo, foram contra tal acordo.

Fonte: http://www.cnj.jus.br/

13 de jun de 2011

Palestra sobre como dar entrevista

Mais uma vez vou dar uma palestra sobre como se relacionar com a imprensa e dar entrevista.

A entrada é franca e será para os pastores e líderes de Brasília.

A organização será em parceria com o CIPE (Conselho de Pastores do DF).

Data: 18 de junho de 2011 (sábado)

Horário: 8h30

Local: Ministério Ceifa

Endereço: QNM 5 Conjunto K Lote 3 – Ceilândia Sul

O santo casamenteiro

Comer o pãozinho milagroso e benzido pelo padre, fazer simpatias, promessas e orações.

Por todo o país hoje se multiplicam os pedidos para o santo casamenteiro e das coisas perdidas porque é dia de Santo Antônio, 13 de junho.

Cada pessoa sabe uma simpatia. Uma bem famosa é colocar a imagem do santo de cabeça para baixo, dentro de um copo com água. Ao ter o pedido atendido, tira-se o santo do copo. É quase um afogamento da imagem.

Já quanto ao pão, geralmente é produzido dentro das paróquias enquanto são feitas rezas. É um trabalho coletivo dos fiéis que doam a matéria prima para a festa. Os organizadores também compram parte dos produtos que faltam com o dinheiro das rifas que são tradicionais nessa época por causa das festas juninas. Ao lado do forno costuma-se colocar uma imagem do santo. Dizem que é para dar mais sorte.

Os pães milagrosos são distribuídos durante as missas. Reza a lenda que quem comer e guardar dentro das latas de mantimentos,  sempre terá fartura dento de casa. Comida não faltará.

Na paróquia Santo Antonio, na 911 Sul, em Brasília, haverá missa durante todo o mês com a distribuição gratuita dos pães. São várias missas por dia.

Já algumas paróquias também produzem o bolo de Santo Antônio. A do bairro do Peri, em São Paulo,  vende um pedaço a R$ 3,00. Dizem que quem comer uma fatia do bolo também encontra casamento.

Tradição, festa popular e brincadeiras à parte, a questão é séria. Envolve fé, devoção e idolatria.

A questão é simples: Desvia-se o foco. Ao invés de orar a Deus, pede-se ao santo. Ao invés de ter fé somente em Deus, acredita-se também que o santo pode interceder a Ele por nós. E a Bíblia afirma que o único intercessor entre Deus e o homem é Jesus Cristo. Ele nem se quer é mencionado nessa festa. Isso é que se chama idolatria. Desviar a adoração e o foco de crença. Acreditar que um santo, que foi um homem ou mulher como nós, também pecador, e que não morreu na cruz para nos salvar, possa ser o intermediário entre nossos desejos e o Senhor.

Todo o meu respeito à festa católica, mas os padres deveriam orientar os fiéis de que não podem, à luz da Bíblia, orar para um santo. Eles, os padres, conhecem a Bíblia porque a estudam. Por que não a explica para as pessoas? Idolatria é pecado.

9 de jun de 2011

100 milhões de Bíblias

Essa é a marca record que a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) comemora.

Isso mesmo. A SBB produziu 100 milhões de exemplares bíblicos em 16 anos de funcionamento da Gráfica da Bíblia, em Barueri, São Paulo.

Essa marca é mundialmente inédita. E mais um dado importante para os evangélicos brasileiros celebrarem: O Brasil tem a maior produção de Bíblias do mundo.

A SBB vende as Escrituras para o Brasil e ainda para outros 105 países. A missão é “semear a Palavra que transforma vidas".

Fonte: Revista A Bíblia no Brasil, número 231, junho 2011, pág. 10.

5 de jun de 2011

Marcha para Jesus

No Rio de Janeiro

Assista ao video do Jornal Nacional, Rede Globo.

WWW.g1.globo.com/jornal-nacional


Em São Paulo

A Marcha será dia 23 de junho deste ano.

www.marchaparajesus.com.br/2011

1 de jun de 2011

Manifesto pela família, contra PL 122

Reportagens sobre a manifestação dos evangélicos contra o projeto de lei 122/06.

Rede Globo, Jornal Nacional
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2011/06/lei-que-criminaliza-homofobia-motiva-grande-protesto-em-brasilia.html

Band
http://www.band.com.br/jornalismo/brasil/conteudo.asp?ID=100000437082

Folha de São Paulo
http://www1.folha.uol.com.br/poder/923944-religiosos-fazem-protesto-contra-projeto-que-criminaliza-homofobia.shtml

G1
http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/06/lei-nao-pode-criar-terceiro-sexo-diz-magno-malta-em-marcha-em-brasilia.html

Jornal de Brasília
http://www.jornaldebrasilia.com.br/site/noticia.php?id=345464

G Notícias
http://noticias.gospelmais.com.br/protesto-manifestacao-contra-plc-122-silas-malafaia-brasilia-20417.html

Agência Câmara dos Deputados
http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/DIREITOS-HUMANOS/198058-PARLAMENTARES-PEDEM-AGILIDADE-PARA-PROJETO-CONTRA-UNIAO-HOMOAFETIVA.html

Reportagens que enfocam a oposição

G1
http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2011/06/grupos-fazem-manifestacao-em-defesa-de-projeto-contra-homofobia-no-df.html

Zip Gospel
http://noticias.zipgospel.net/em-frente-a-catedral-nos-ativistas-lgbtt-iremos-queimar-um-exemplar-da-biblia-sagrada/

A Bíblia é homofóbica?

Não. Respondo logo à pergunta para não pairar dúvidas no ar.

Mas, com o projeto de lei (PL) 122, querem fazer o livro sagrado homofóbico. O PL quer amordaçar a sociedade brasileira. Quer dizer que a Bíblia é preconceituosa porque lá está escrito que a homossexualidade não é agradável aos olhos de Deus, sendo pecado.

O PL criminaliza a ação, a opinião ou a crítica que venha a ser interpretada como discriminação ou preconceito quanto aos homossexuais brasileiros. A pena varia de dois a quatro anos de prisão.

O que é isso? Não posso criticar e discordar? A Constituição me garante direito de opinião. Cadê minha liberdade de expressão? Cadê minha liberdade religiosa?

O PL é inconstitucional, pois quer restringir a liberdade de opinião e de crença. É necessário explicar que criticar o comportamento homossexual é totalmente diferente de discriminar pessoas. É lógico que todos têm que ser respeitados e não devem ser discriminados. Mas eu posso discordar da prática homoafetiva sem, contudo, ofender os praticantes, rebaixá-los, discriminá-los. Vamos pensar direito!

Hoje, 1 de junho de 2011, acontece mais uma marcha pacífica dos evangélicos contra o PL 122, em frente ao Congresso Nacional. Em 2008 pastores e fiéis reuniram-se no mesmo local também para protestar contra o projeto. A liderança dessa manifestação é do pastor Silas Malafaia.