30 de dez de 2012

Tim, tim. Feliz 2013

Pela graça de estarmos vivos.
Pela salvação em Jesus Cristo.
Pelas alegrias e tristezas que fazem a nossa história.
Sejamos gratos por tudo.
E abertos a novas conquistas em 2013.
Tudo de melhor desejo aos leitores do meu blog.
Brinde com esperança.

23 de dez de 2012

É Natal! Feliz aniversário, Jesus!

Entenda a diferença de significados entre o Natal bíblico e o comercial.
A diferença entre Jesus e Papai Noel
 
A história do nascimento de Jesus Cristo, narrada na Bíblia Sagrada, não coincide com muitas celebrações do Natal de hoje.

O que é Natal? Do latim natale, é o nascimento. Dia do aniversário de nascimento de qualquer pessoa.

A celebração atual tem comida e bebida típicas, árvore verde com enfeite, Papai Noel puxando trenó, neve ou simulação dela (apesar de no Brasil a festa ser em pleno verão escaldante), Mamãe Noel, amigo oculto, bota na janela para receber presente, guirlanda, presépio e muita luz enfeitando a cidade.

Tudo isso é bonito e pode permanecer, mas não expressa o Natal bíblico. Além, claro, de ser um apelo ao consumismo.

Não podemos trocar o significado das celebrações. Não vamos homenagear a pessoa errada.

Não pode ser Papai Noel o centro das atenções. O aniversariante, que veio trazer vida e salvação aos homens por meio do Seu nascimento, morte e ressurreição, foi Jesus Cristo.

A cidade mais importante nessa época não é o Polo Norte, conforme diz a lenda na versão americana, nem a Lapônia, na Finlândia, como os britânicos afirmam que mora o bom velhinho, nas montanhas geladas de Korvatunturi. A cidade é Belém, em Israel, onde Jesus nasceu.

Os bichos não são renas voadoras e elfos mágicos que produzem, em uma oficina, os brinquedos pedidos pelas crianças do mundo que enviam cartas a Papai Noel. Os bichos foram aqueles que estavam na estrebaria: Bois e jumentos.

A roupa não é vermelha, botas e cintos pretos, cabelos e longas barbas brancas. A casa não tem chaminé e neve no jardim. O carro não é o trenó. Jesus nasceu sem dinheiro, sem enxoval, deitou-se em uma manjedoura, foi enrolado em panos, era noite e lá no Oriente o clima é desértico. Nada da brancura e da maciez da neve.

Não são as crianças que devem receber presentes por escrever cartinhas para Papai Noel e, em troca, ver chegar brinquedos e doces na noite da festa, conforme diz a lenda. Quem deve receber presentes é Jesus. Ele já recebeu tesouros como ouro, incenso e mirra. Jesus não exige nada caro, com laços. O presente que Ele quer é o seu coração. Mas não sejamos extremistas. Você pode demonstrar carinho pela família e pelos amigos dando-lhes uma lembrança.

Ah! Outra detalhe que não deve ser esquecido. A história atual do Natal é uma lenda. Papai Noel não existe, apesar do forte apelo e da inocência das crianças que muitas vezes recebem ensinamento errado ou incompleto dos pais. A história de Jesus é real. A vida, a alegria, a tristeza, a dor, a cura, a salvação, a condenação eterna. Tudo isso é real. Quem pode trazer esperança ao coração do homem?

Um entrega presentes. O outro entregou a vida. Quem você escolhe homenagear?

Diante dos símbolos de Natal que hoje vemos espalhados pela cidade, as luzes das estrelas e o presépio são os que mais se assemelham ao que narra a Bíblia. É uma representação teatral do nascimento do Mestre.

Uma estrela foi a guia que levou os reis magos – que eram pastores de rebanho -, a encontrar Maria, José e o menino. A estrela “ia adiante deles e se deteve sobre o lugar onde estava o menino”. Belo sinal!

O presépio materializa a cena que os magos viram. O menino deitado em uma manjedoura foi o sinal que os magos pastores receberam de Deus para encontrar o Salvador. A estrebaria é o lugar dos bois e dos jumentos. A Bíblia cita que “na estalagem não havia lugar para eles”. Da cena também fazem parte Maria e José, os escolhidos para acalantar o Rei. Os objetos presentes na cena da quela noite, além do espaço físico, foram os três presentes que o menino recebeu. A cena é essa. Simples assim. Nada mais pode enfeitá-la, pois não carece de maiores adornos.

Da simplicidade ao Reino eterno. O Rei tornou-se frágil, bebê indefeso, para cumpri um propósito e conquistar os nossos corações. Como bem diz Max Lucado, na obra Ele escolheu os cravos, “Jesus preferiu morrer por você do que viver toda a eternidade sem você”. Ele nasceu por você. Viveu por você. Morreu e ressuscitou por amar você. Jesus te quer. Você O escolherá?

Apesar das minhas imperfeições, eu escolho viver com Ele e presentear o verdadeiro aniversariante. Feliz aniversário, Jesus!

17 de dez de 2012

Para os jornalistas brasileiros

Visitem esse site e envolvam-se com essa ideia.

Vamos expressar nosso direito à liberdade.

www.paraexpressaraliberdade.org.br

6 de dez de 2012

Oscar Niemeyer escreveu seu nome na história da arquitetura brasileira

Ele tinha um traço singular ao desenhar palácios e museus. As colunas de Brasília têm a sua marca. O Palácio do Planalto é um desses símbolos. Mas em outros estados brasileiros e em vários países seu trabalho pode ser conferido.

Ele também deixou sua arte em objetos, como designer. O conjunto de poltronas e a marquesa (fotos) recebem a assinatura de Niemeyer. Essas peças decoram o Palácio do Planalto. Mas as poltronas podem ser vistas também no Congresso Nacional e no Palácio do Itamaraty.
 Um dos palácios que foi desenhado por Niemeyer
 Marquesa. Recebe a assinatura de Niemeyer
 Salão do Palácio do Planalto. À direita, a marquesa
 Marquesa. A peça foi desenhada pelo arquiteto
Poltronas desenhadas por Niemeyer. Expostas no Palácio do Planalto
 
Ele tinha o dom para criar. Em entrevista para a TV disse que, quando era criança, fazia traços no ar. Sua mãe perguntou o que estava fazendo. Ele disse que estava desenhando.

Com caneta, papel e prancheta deixou seu nome escrito na história da arquitetura moderna do Brasil. Em outra entrevista que assisti o ouvi afirmando: “Cada um vem, escreve a sua história, e vai embora”.

As fotografias postadas são minhas. Foram clicadas durante as minhas andanças pelas ruas de Brasília.

 

 

2 de dez de 2012

O rei sobe a rampa

Ele cantou sobre o Nordeste.

Com sua sanfona o forró do sertão correu os quatro cantos do Brasil.

Parte da história e da música do rei do baião está na exposição “O imaginário do rei, visões do universo de Luiz Gonzaga”, no Palácio do Planalto. Quem disse que só presidente sobe a rampa? O nordestino cancioneiro subiu também.






O retrato das coisas simples. Gente simples. Nordestinos. Brasileiros.

Na exposição tem fotografia de vaqueiro, tem padre feito de argila, fotógrafo lambe-lambe. Tem sanfona, claro. Tem zabumba. Quadros, discos de vinil, livros. Tem roupa de cangaço. A religiosidade, as festas, as músicas. Tudo está lá. O Brasil bem colorido visto por meio de peças simples feitas de argila, madeira, óleo sobre tela.

A exposição tem também um sanfoneiro tocando ao vivo para entreter os visitantes, para cantar as músicas que o povo consagrou como “Asa branca”.

Um Brasil forte, de gente sofrida, trabalhadora, honesta. Gente simples, mas muito festeira e feliz. Um Brasil muito nordestino. A cara de Gonzagão.

A exposição marca os 100 anos do artista.

30 de nov de 2012

Dia do Evangélico 2012

Programação do Dia do Evangélico, na Esplanada dos Ministérios. Vão rolar os seguintes shows:
Hoje (30/11/12)
14h: Banda 321
15h: Renovo
16h: DD Junior e Karen Numan
17h: Metal Nobre e Passageiros de Cristo
18h: Salz Banda e Ministério IPR Brasil
19h: Banda Clamor Brasil e Lohanna Camargo
20h: cantor PG
21h: Fernanda Brum
22h: Waguinho
23h: Damares

Amanhã (1/12/12)

15h: Daniel Magalhães e Xote Santo
16h: Ana Quesia
17h: Clovis Ribeiro
18h: Junior Neguebe
19h: Louva Deus
20h: Provérbio X
21h: Jotta A
22h: Kleber Lucas
23h: Trazendo a Arca


Fique por dentro da realidade de Brasília
Os números não batem. A Codeplan diz que os evangélicos são 740 mil, ou seja, 28% da população do DF. O Conselho de Pastores Evangélicos do DF fala em cerca de 1 milhão de adeptos, 5 mil templos das mais variadas denominações e 6 mil pastores.

E o número vem crescendo. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que havia 690.982 religiosos em 2010.

Qual cidade que tem mais igrejas? Samambaia, com 800 templos. Depois vem Itapoã e Estrutural.

O feriado ocorre apenas no Distrito Federal. Nos outros estados a data é comemorada, mas sem feriado.
 
O dia no Brasil
O Dia do Evangélico foi instituído no DF pela Lei nº 893/ 1995. A festa faz parte da agenda oficial do GDF. Passou também a ser nacional pela Lei nº 12.328/ 2010. O dia 30 de novembro tornou-se o Dia Nacional do Evangélico, com documento assinado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Fonte: Correio Braziliense, em 30/11/12

29 de nov de 2012

Curiosidades sobre a tradução da Bíblia

A Bíblia é o livro mais lido e vendido do mundo. Mas ainda existem vários povos que não a tem traduzida para a sua língua.

População mundial: 7 bilhões

O que já foi feito sobre a tradução da Bíblia no mundo
Línguas faladas no mundo: 6.913
Programas de tradução em andamento: 2.022
Possui Bíblia traduzida (em parte ou toda): 2.696
Possui Bíblia completa: 471
Possui NT completo: 1.223
Possui apenas porções da Bíblia: 1.002

O que falta fazer
Línguas que precisam que se inicie um programa de tradução: 2.040.
Isso representa 350 milhões de pessoas sem um versículo da Bíblia em sua língua mãe.
Das 2.040 línguas no mundo sem Bíblia, 38 são do Brasil (línguas minoritárias).

Quantas línguas são faladas no Brasil hoje?
Português e outras 185 línguas (indígenas) – sem considerar as comunidades de imigrantes nem as pessoas que já aprenderam alguma língua estrangeira. Isso mesmo. Essas línguas são brasileiras, faladas por índios brasileiros.

Fonte: Iphan, Ministério da Cultura e Missão ALEM

10 de nov de 2012

Show da música evangélica


Diante do Trono e outros artistas evangélicos concorrem ao Grammy Latino 2012.
Confira: www.diantedotrono.com/dt-no-grammy-latino-2012


Troféu Promessas também escolhe os melhores da música.
Confira: www.trofeupromessas.com.br

1 de nov de 2012

Com a Reforma Protestante vale somente a graça de Deus

Ano de 1517, na cidade de Lutherstadt Wittenberg, na Catedral de Wittenberg, Alemanha. Ano de 2012, em Brasília, na Faculdade Evangélica (FE), Brasil. Lá Martinho Lutero fez a Reforma Protestante. Aqui os estudantes de Teologia celebraram os 495 anos do ato que mudou a história religiosa mundial.

Para comemorar o aniversário da Reforma foi organizado um culto, em 31 de outubro, com tema Reforma Protestante: Consciência e protesto a favor da vida.

Uma programação especial marcou a noite. Depois de três minutos de oração individual, um grupo de alunos apresentou, à capela, o hino Castelo Forte cuja letra foi composta por Lutero, no ano de 1528, inspirado no Salmo 46.
Prof. Loiola (terno cinza), Prof. Marco Antônio (terno preto) e bacharelandos em Teologia

Em outro momento de reflexão, uma pedra foi trazida pelos alunos ao altar simbolizando o peso que muitas vezes as pessoas carregam na vida. “Que tipo de pedra está nos impedido de promover o diálogo e o bom relacionamento? Será que há uma pedra no nosso coração que impeça que dialoguemos com a família e os amigos?”, questionou o reverendo José Roberto Alves Loiola, professor da FE.

Ainda como reflexo e clamor a Deus, Luzia Lima da Silva fez uma oração, de joelhos, pelos índios Kaiowá que, pela falta de respeito e diálogo por parte dos governantes, estão sofrendo dor, morte, sendo roubados em suas terras e praticando altos índices de suicídio nas tribos. “Pedimos perdão a Deus pela inabilidade que nosso governo tem em resolver as questões indígenas brasileiras. E pela incompetência na elaboração de um diálogo com os índios que têm dificuldade em manter suas famílias na terra onde moram. Pedimos a Deus que mude a história de nossos índios e que as portas sejam abertas para que a Bíblia os alcance”, orou Luzia.

Jogral e a leitura de vários trechos bíblicos também marcaram a liturgia que levou ainda os participantes a entenderem que é um privilégio ter a Bíblia traduzida para o Português, em várias versões, e a leitura ser livre. Basta lembrar que esses benefícios foram conquistados com a Reforma, pois os textos das Sagradas Escrituras eram exclusividade dos padres católicos, então detentores do poder.

A ministração ficou sob responsabilidade do pastor e professor Marco Antônio Campos que baseou-se em Romanos 12:2 para ensinar sobre a relevância do tema. “Três palavras podem resumir a Reforma: Motivação, conscientização e atuação. Lutero viveu esses três pontos. Por conhecer a verdade viu que algo precisava ser feito. Também precisamos assumir que temos que fazer algo em prol de nossa sociedade. Ainda hoje a Bíblia e seus valores são fundamentais para as pessoas. Nós somos fruto da Reforma Protestante. Mas Lutero não ficou só na vontade de fazer alguma coisa. Ele enfentou correntes que lutavam contra a Palavra de Deus. Naquela época, lutar contra a igreja era passível de pena de morte. Lutero arriscou. Fez defesa das verdades bíblicas e doutrinárias da Palavra. Pegou seu tinteiro, papel e pena e escreveu as 95 teses. Com a atitude dele as pessoas puderam ter maior acesso aos textos bíblicos. Os alemães também tiveram a Bíblia traduzida para a sua língua-mãe. Diante de um concílio de padres ele foi perseguido e insultado para que negasse o que tinha escrito. Lutero disse que não se retrataria, pois aquela era a sua posição. Isso é um exemplo para nós”, disse o pastor Marco.

Encerrando as atividades os presentes ouviram o credo lido pela estudante Elila Faria e cantaram a música Deus é fiel, tendo ao órgão Lisette Jung Loiola e Marcos Santos da Silva Júnior. Em torno de uma mesa de frutas a comunhão foi celebrada.

 

Depoimentos
“A Reforma Protestante foi mais do que um sopro de liberdade. Foi Deus dando voz aos homens e mulheres que não tinham voz, não tinham expressão. Ainda somos protestantes? Hoje temos que levar a igreja de volta às Escrituras. Temos consciência do que significou a Reforma? Foi um resgate, a abertura da Bíblia para todos. Lutero foi impactado pelo texto no século XVI. Mas no século V Santo Agostinho também foi. No século VXIII John Wesley também. A Reforma foi a libertação da Bíblia em latim e a disseminação da Palavra de Deus.”
Rev. José Roberto Alves Loiola, professor da FE

“O que temos hoje na Teologia pauta-se na Reforma Protestante. Hoje, 495 anos depois, o Senhor continua sendo nosso castelo forte como escreveu Lutero. Somos reformados ou ainda precisamos de nova Reforma atualmente? Temos que pensar sobre isso. Temos que retornar ao nascedouro da Reforma. Aqui não temos batistas nem presbiterianos, nenhuma denominação. Existe o corpo de Cristo, uma igreja que é fruto da Reforma.”
Professor Uélinton Dias da Luz, coordenador do curso de Teologia da Faculdade Evangélica

 “Hoje, dia 31 de outubro de 2012, depois de 495 anos que Lutero – impelido pelo Espírito Santo, tomou a decisão de se levantar contra a autoridade da Igreja Católica, estamos aqui para celebrar a Reforma. Não precisamos mais defender as Sagradas Escrituras como Lutero fez. Aliás, como disse Charles Spurgeon, a Bíblia não precisa ser defendida. Ela é como um leão, se autodefende”.
Pastor Marco Antônio Campos, professor da FE

“Tudo começou com o sacerdote Martinho Lutero que, inconformado com os rumos da Igreja Católica, pregou as 95 teses na catedral de Wittenberg. Esse posicionamento foi o precursor da Reforma Protestante que tem a sua essência em cincos pontos básicos que são sola fide (somente a fé), sola scriptura (somente a Escritura), solus Christus (somente Cristo), sola gratia (somente a graça) e soli Deo gloria (glória somente a Deus).”
Aparecida Sanches, estudante de Teologia

 Bacharelandos em Teologia

“Qual a mensagem da Reforma Protestante para nós hoje? Creio que é Mateus 16:18 que diz que as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja. O Senhor não quer que sejamos gigantes dentro dos muros dos nossos arraiais e pigmeus fora deles. A ordem é avançar. O tempo está passando rápido em nossa geração. E qual é nosso investimento nas questões espirituais?”
Cláudio Rios, estudante de Teologia

 

 

26 de out de 2012

"Carta de Deus", de Albert Einstein


O físico Albert Eisntein escreveu uma carta, destinada a um filósofo, afirmando que a Bíblia é uma “coleção de lendas”.

Esta semana a carta foi vendida por US$ 3 milhões.

Confira reportagem:

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/10/carta-de-deus-escrita-por-albert-einstein-e-vendida-por-us-3-milhoes.html

25 de out de 2012

O sagrado no imaginário popular

Uma releitura do mundo contemporâneo sob a ótica do sagrado. A fé em sua diversidade. Entender o grande mosaico religioso que atualmente existe no mundo. Esse foi o desafio da Jornada Teológica que aconteceu de 22 a 24 de outubro, na Faculdade Evangélica de Brasília, com o tema As Representações do Sagrado no Século XXI.
Estudantes de Teologia

Sob coordenação do professor Uelinton Dias, os estudantes de Teologia discutiram as diversas manifestações do êxtase na vida das pessoas. Um tema importante diante de um cenário religioso tão plural como o existente.

Os professores do curso foram escolhidos para ministrar as palestras. Os prata da casa ensinaram sobre a Dimensão do sagrado no imaginário humano (professor Sebastião Veiga palestrou sobre esse tema na Asa Sul e o professor Sandro Nogueira no campus de Taguatinga Norte); Espiritualidade e ajuda: reflexões sobre a ideia da ajuda (professores Débora Santos e Antonio de Jesus); O sagrado, a religião e a existência humana e o Imaginário do sagrado a partir da filosofia de Emmanuel Lévinas (ambos os temas ministrados pelo professor José Roberto Alves Loiola). “É fundamental que o estudante de Teologia compreenda a sua religião e saiba fazer conexões com outras religiões. Por isso esse tema é tão importante”, comentou o professor Loiola.
Professor José Roberto Loiola

Além de um momento de aprendizado, o evento foi também a oportunidade para os estudantes se conhecerem melhor. “A Jornada Teológica nos proporciona uma integração com os colegas de outros semestres. Podemos ainda aprender sobre assuntos pertinentes à nossa realidade”, disse Aparecida Sanches. Ilvamar Francisco de Souza estuda na mesma turma de Aparecida. Ele lembra que a informação recebida ajuda o futuro teólogo a se preparar para responder às perguntas das pessoas sobre religião.

O tema do encontro foi outro ponto elogiado pelos alunos. Emanuelle Albuquerque, que está no quarto semestre, acredita que é válido agregar novas fontes de conhecimento e afirma que a Jornada foi o espaço no qual os alunos puderam ouvir sobre assuntos diversos não estudados em sala de aula. “Conhecer a importância do sagrado em outros ângulos religiosos é fundamental para o teólogo que é um formador de opinião. Temos que entender como outras religiões pensam e reagem sobre a fé e comparar com a nossa reação também”, comentou Emanuelle.
Estudantes de Teologia: Esther, Denise, Sérgio, Cláudio e Ilvamar

Ariosto Ferreira, do sexto semestre, e Reuber Nunes de Oliveira, quarto semestre, concordam com Emanuelle quando afirma que debater sobre o tema amplia o horizonte, trazendo um olhar mais apurado e crítico sobre a fé no cenário mundial.

“Temos que saber sobre a visão do sagrado em todas as religiões. Isso é fundamental para um teólogo”, enfatizou Juliana Melo, do quarto semestre. Ela acredita que quanto mais informação de qualidade o estudante receber, melhor será sua formação e sua bagagem.
Texto: Denise Santana, jornalista

3 de out de 2012

Turquia guarda riqueza hitórica e religiosa

A cidade de Antakya, na Turquia, foi a antiga Antioquia. Lá foi refugio para os primeiros cristãos. Um lugar que traz consigo o berço do Cristianismo e é citado na Bíblia.

Assista à reportagem:

2 de out de 2012

O país que mata jornalistas


O Brasil está em quarto lugar no ranking de jornalistas assassinados.

Leia reportagem do Correio Braziliense:

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2012/10/02/interna_brasil,325553/brasil-ocupa-quarta-posicao-no-ranking-de-jornalistas-assassinados.shtml

27 de set de 2012

Vaticano contesta papiro

O jornal do Vaticano publicou notícia afirmando que é falso o papiro que anuncia que Jesus Cristo era casado.

Leia reportagem:

18 de set de 2012

Papiro comenta sobre mulher de Jesus

A imprensa divulgou hoje uma notícia polêmica para o segmento cristão mundial. Um papiro que comenta que Jesus era casado com Maria Madalena.

Você acredita na veracidade do material?

Confira reportagem:

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/1155604-papiro-menciona-mulher-de-jesus.shtml

16 de set de 2012

Gays protestarão nus contra Silas Malafaia

Gays prometem ficar nus, em protesto contra o pastor Silas Malafaia

Confira as reportagens:
http://www.gospelminas.com/Noticia/3446/GAYS+AMEACAM+FICAR+NUS+PARA+PROTESTAR+CONTRA+SILAS+MALAFAIA.html
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=285512&codDep=34

Enquanto isso...
Líder religioso mais influente no Brasil
Pesquisa do IG revela que o padre Marcelo Rossi ficou em primeiro lugar. Silas Malafaia é o pastor mais queridinho do Brasil. Ele foi eleito como pastor mais influente.

Confira:

8 de set de 2012

História de Brasília não está preservada

 Há 90 anos iniciou a obra de um monumento para que Brasília se transformasse na capital do País.

A marca desse evento histórico ainda existe, mas precisa de conservação para se tornar um ponto turístico, a cidade ganhar dinheiro e melhorar a vida das pessoas que moram aqui.

A pedra fundamental está em Planaltina. Recebeu um abraço simbólico para mostrar às autoridades que a história e a memória devem ser preservadas e o lucro ser coletivo.

Leia reportagem:
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2012/09/08/interna_cidadesdf,321442/celebracao-lembra-os-90-anos-da-pedra-fundamental-que-deu-origem-a-brasilia.shtml

4 de set de 2012

Fetival Promessas Distrito Federal

O show, promovido pela Rede Globo, será dia 15 de setembro, a partir das 19h, no Arena Hall, em Vicente Pires, em Brasília.

Cantores consagrados do cenário gospel estão confirmados como Fernandinho, Oficina G3 e Damares.

Troque um quilo de alimento pelo seu ingresso.
 
Veja os postos de troca pelo site http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2012/09/festival-promessas-deve-reunir-13-mil-pessoas-no-distrito-federal.html

2 de set de 2012

Morreu reverendo Moon

Hoje morreu, aos 92 anos, o reverendo Moon, cujo nome de batismo é Sum Myung Moon. Ele era norte coreano.

Moon foi o fundador da Igreja da Unificação e dizia que Jesus apareceu-lhe dizendo que Deus o enviara para salvar o mundo. Ou seja, Moon colocou-se no papel de Jesus Cristo, como salvador das pessoas.

Confira reportagem:
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/09/morre-aos-92-anos-sun-myung-moon-o-reverendo-moon.html

A vida, Deus, os fogos de artifício e as estrelas

Tem gente que prefere os fogos de artifício a contemplar as estrelas. Deixa o muito pelo pouco. Escolhe o temporário ao invés do permanente. Pega o de brilho indefinido a ficar com o de maior brilho. Admira os fogos de artifício (que são coloridos, atraentes, barulhentos, cheios de fumaça, mas acabam) ao invés de voltar o olhar para a beleza ímpar das estrelas.

Na vida espiritual isso também acontece. Tem gente que escolhe o caminho mais fácil (que pode ser menos santo e ético), o que a visão pode alcançar (ao invés de exercitar a fé), a temporariedade da vida (em vez que agarrar-se à eternidade com Deus).

Tem gente que exclui Deus de sua vida. Como se fosse bom ficar com os fogos de artifício. Não. O melhor é admirar e viver com as estrelas.

Como bem disse John Henry Jowett, no livro O pregador, sua vida e obra, não podemos “ser atraídos por fogos de artifício perdendo a visão das estrelas”.

Escolha deixar Deus viver com você.
Texto: Denise Santana, jornalista

20 de ago de 2012

Diploma para jornalista aprovado no Senado

Por 60 votos favoráveis e 4 contra, o Senado Federal aprovou, em 7 de agosto, proposta de emenda à Constituição (PEC) 33/2009 determinando exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo.

Agora a emenda será encaminhada e votada na Câmara dos Deputados. Se aprovada, vai para sanção presidencial. Se modificada, deverá retornar à primeira Casa (Senado) para ser votada novamente.

De autoria do senador Antonio Carlos Valladares (PSB-SE), a PEC é para garantir que somente jornalistas com diploma tenham direito de exercer a profissão.

Em 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a exigência do diploma para a categoria. Para extinguir a obrigatoriedade do diploma os ministros atenderam a um pedido do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e do Ministério Público Federal (MPF).

Todas as pessoas que conseguiram o registro profissional, enquanto o diploma estava cassado, continuarão com o direito de trabalhar.

De acordo com a Agência Senado, de 1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011, foram concedidos 11.877 registros, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do STF.

17 de ago de 2012

Tradução da Bíblia, um desafio

Participei hoje do Fórum de Ciências Bíblicas que comemorou os 30 anos da Associação Linguística Evangélica Missionária (ALEM). O evento teve a parceria da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) e da Associação Internacional de Linguística (SIL Brasil).

Com o tema Tradução da Bíblia, os preletores mostraram o quanto ainda é necessário trabalhar para fazer Jesus conhecido, amado e adorado no mundo.

Uma pessoa compreende melhor uma mensagem em sua língua mãe, a língua chamada do coração. A Bíblia tem que ser lida com óculos culturais. É necessário contextualizar as Sagradas Escrituras. Por isso, é para ontem a tradução da Palavra de Deus para todos os povos.

Veja o tamanho do desafio: existem 6900 línguas faladas no mundo por cerca de 6,5 bilhões de pessoas. Nem todas as pessoas têm a Bíblia traduzida. São 2200 línguas que ainda precisam de tradução. Isso representa 353 milhões de pessoas que não tem um único versículo bíblico na língua materna.

É urgente a igreja mundial – destaque para a brasileira, investir em missões e na tradução da Bíblia.

Você quer ajudar? Vale lembrar o tripé de missões: você pode ir (ser um missionário), orar e/ou ajudar financeiramente os que se dispõe a ir. Você pode ainda ser um voluntário na sua igreja ou em instituições que trabalham para levar Jesus às pessoas. Você quer se envolver?

16 de ago de 2012

13 de ago de 2012

Arte de Candido Portinari é história e cultura brasileira


Eu, na exposição de Candido Portinari

Ele pintou o Brasil nas suas cores mais alegres. A série Retratos da Brasilidade, composta de 12 telas gigantes, está em exposição em Brasília revelando o brasileiro que levou história, graça e vida para os quadros.

A pedido de Assis Chateaubriand, Portinari pintou as telas, entre 1954 e 1956, para decorar o jornal O Cruzeiro. Com isso ele marcou o período de arte modernista, ao colocar na tela pinceladas com cores fortes, formas, efeitos dramáticos, desenhos expressivos. Antes, o cinza predominava, pois era típico do cubismo. Ele ganhou mais notoriedade ao sair da sombria cor cinza e encher de cores seus trabalhos. São essas obras que os visitantes poderão conferir na exposição.

Entre baianas, cenas de gaúchos, o garimpo das Minas Gerais, o descobrimento do Brasil com índios e caravelas, a música ritmada do frevo e do samba, os bandeirantes, os seringueiros. De tudo um pouco Portinari retratou. Mostrou o Brasil popular, regional e nacional. O Brasil folclórico.  Um País muito simples, mas expressivo. Alegre também. Os vaqueiros e as jangadas do Nordeste assim como o bumba-meu-boi não foram esquecidos.

A riqueza das cores do brasileiro artista atravessou mares, sendo exposta internacionalmente, onde recebeu vários prêmios. Uma riqueza que mostra a alma da Nação por meio de figuras. Muita arte. Muita vida brasileira nas telas. Exaltação nacional. Uma assinatura reconhecidamente tupiniquim, com muito orgulho.

Perfil
O artista plástico Candido Portinari (1903-1962), que nasceu no interior de São Paulo, pertenceu a uma geração de intelectuais cuja lista tem nomes como Gilberto Freira, Oscar Niemeyer, Villa-Lobos, Mário de Andrade, entre outros.

Enfocando a alma do Brasil em sue trabalho, é representante do período modernista da cultura brasileira.

Minha opinião
Fui à exposição. Gostei! Recomendo.

Serviço
Exposição Retratos da Brasilidade
Até 16 de setembro de 2012, das 9h às 18 horas, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, com entrada franca.

12 de ago de 2012

Diploma para jornalista aprovado no Senado


Uma vitória para os que estudaram e para a sociedade. Por 60 votos favoráveis e 4 contra, o Senado Federal aprovou, no último dia 7, proposta de emenda à Constituição (PEC) 33/2009 determinando exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo.


Agora a emenda será encaminhada e votada, em dois turnos, na Câmara dos Deputados. Se aprovada, vai para sanção presidencial. Se modificada, deverá retornar à primeira Casa (Senado) para ser votada novamente.

De autoria do senador Antonio Carlos Valladares (PSB-SE), a PEC é para garantir que somente jornalistas com diploma tenham direito de exercer a profissão.

Em 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a exigência do diploma para a categoria. Para extinguir a obrigatoriedade do diploma os ministros atenderam a um pedido do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e do Ministério Público Federal (MPF).

Todas as pessoas que conseguiram o registro profissional, enquanto o diploma estava cassado, continuarão com o direito de trabalhar.

Minha opinião
A PEC é para corrigir um absurdo que o STF cometeu. Desmerecer, desrespeitar e tirar a importância de um diploma para o exercício da profissão. Onde o Brasil vai parar? Eles deveriam incentivar para que as pessoas estudassem mais. E não cassar o diploma de quem foi para a escola se preparar. Eu estudei, me esforcei muito e tive o meu diploma igualado a nada. Imagina se um País desse vai para a frente.

Espero que a Câmara dos Deputados aprove a PEC. Outra coisa: depois que a PEC for aprovada totalmente, defendo que sejam cassados todos os registros profissionais que foram expedidos enquanto vigorou (e ainda vigora) a lei que retirou a obrigatoriedade do título. Defendo o livre exercício profissional, mas com diploma nas mãos.

De acordo com a Agência Senado, de 1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011 foram concedidos 11.877 registros, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do STF.

3 de ago de 2012

A culpa é da imprensa?

Engraçado. Sempre que a imprensa divulga uma denúncia torna-se culpada pelos fatos. Na verdade, os denunciados é que falam que toda a culpa é da imprensa. Vou explicar.

Estudo de caso 1
O mensalão no qual os 38 réus estão sendo julgados esta semana pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Eles armaram um grande esquema de desvio de dinheiro. Pura corrupção. E estavam no poder na época. Eram ligados ao PT que mandava no Brasil. Quando estourou o escândalo até o ex-presidente Lula disse que os jornalistas falavam demais.

Estudo de caso 2
Na operação Monte Carlo o bicheiro Carlinhos Cachoeira foi preso. A turma dele também foi para a cadeia. A mulher do contraventor, Andressa Mendonça, deu entrevista para o Fantástico, Rede Globo. Disse mil coisas, mil bobagens. Entre as pataquadas, afirmou que o marido dela é um homem bom e que a imprensa estava crucificando-o. Ele fora escolhido para Cristo.

Aí eu pergunto: foram os jornalistas que praticaram os crimes e as irregularidades? Então por que a culpa é da imprensa? São os jornalistas que estão sentados no banco dos réus no STF? Então por que eles são os culpados?

Quando Carlinhos Cachoeira praticou todas as irregularidades, quando os integrantes do mensalão praticaram crimes, os jornalistas não estavam lá. Não se envolveram, não incentivaram, não fizeram. Como pode os acusados praticarem crimes e culpar quem divulga os fatos?

Tornou-se mania no Brasil culpar a imprensa. Como em todos os segmentos profissionais, têm jornalistas bons e comprometidos com a informação e outros que envergonham a classe. Mas nem por isso a imprensa é culpada pelos erros alheios. A imprensa divulgou os fatos. A imprensa não praticou os erros e crimes.

Deu para entender que a culpa é dos réus que estão presos e sendo julgados e não dos jornalistas?

Ah, vai achar outra coisa para fazer. Chega de dizer bobagem, de culpar quem não tem nada com isso.

2 de ago de 2012

Aula de história do Brasil, com quadro da primeira missa

Entrada da exposição na Câmara dos Deputados

Todos os alunos do ensino médio já viram esse quadro nos livros de História. É do artista Vítor Meireles, intitulado A “Primeira Missa do Brasil”. Essa é uma das telas famosas dos livros didáticos, sendo pintada entre 1858 a 1860, em Paris. O autor inspirou-se no relato estampado na carta de Pero Vaz de Caminha.
Vários esboços foram produzidos antes da obra final que tem dimensão grandiosa (óleo sobre tela, 270X357cm).
Essa foi a primeira obra de um artista brasileiro a ser exposta no Salão de Paris, em 1861. Pelo sucesso Meireles (que nasceu em Desterro, atual Florianópolis, em 1832, e morreu no Rio de Janeiro, em 1903) foi condecorado com o grau de Cavaleiro da Ordem da Rosa, pelo imperador D. Pedro II.
Escritores, jornalistas e críticos de arte afirmam que Vitor Meireles cometeu um equívoco ao nomear a sua obra de “Primeira Missa no Brasil”. O artista descreveu a segunda missa aqui celebrada, tendo-a denominado de “primeira missa” por ser a primeira a ser oficiada em terra firme, na presença de índios tupiniquins, no dia 1º de maio de 1500. Ainda há o comentário dos que afirmam que Meireles, seguindo o seu estilo de estudos na França, referenciou a obra de Première Messe en Kabylie, de Horace Vernet. A cena do frei com o cálice erguido é quase idêntica nas duas obras.

Minha opinião
Como professora de História jamais deixaria de visitar essa exposição. Eu amei! Vi várias vezes a imagem do quadro nos livros didáticos. Ver a obra, ao vivo, foi muito bom. Recomendo para todos os professores, jornalistas, estudantes. Também para todas as pessoas inteligentes que gostam de arte, cultura e história.

Serviço
Exposição Primeira Missa no Brasil, de Vítor Meireles
De 3 de julho a 16 de setembro de 2012
Das 9h às 18 horas
Salão Nobre da Câmara dos Deputados
Entrada gratuita
Informações: (61) 3216-1768 / exposicoes@camara.gov.br



Quadro da "Primeira Missa do Brasil", de Vitor Meireles, em exposição na Câmara dos Deputados

29 de jul de 2012

Flor seca


Uma vez eu estava me sentindo murcha. Obesa, infeliz, parecia que meus sonhos não se realizariam.

Deus me disse que mudaria a minha vida e que todas as promessas que Ele fizera se realizariam. Mas o tempo passava e tudo piorava. Eu não via as bênçãos chegarem.

Deus me disse ainda que um dia eu conversaria com as pessoas com doçura. Naquela noite me ajoelhei no meu quarto e clamei a Ele que colocasse açúcar na minha vida porque eu me sentia amarga.

Outra vez eu estava saindo de casa quando o Espírito Santo me mandou observar uma árvore. Era um ipê cor-de-rosa. Olhei e falei para Deus que era uma árvore sem folhas, pois estávamos no auge do inverno e da seca em Brasília. Nessa época as árvores perdem todas as folhas.

O Senhor me mandou olhar direito. Me aproximei da árvore e vi que do tronco nasciam brotos de flores e pequenas folhas verdes. Naquele momento Deus me disse que a minha vida floresceria como aquela árvore.

Foram tempos difíceis, mas eu vi as promessas de Deus chegarem às minhas mãos.

Você está passando por um momento difícil? Sua vida está como uma flor seca?
Entregue os seus sonhos para o Senhor. Mesmo a flor seca não perdeu a semente. A vida ainda pode germinar.

27 de jul de 2012

A imprensa promeve: RJ em sarau

“O Rio de Janeiro continua lindo”, sim senhor! Para homenagear a cidade maravilhosa e curtir uma noite cultural, aconteceu ontem o oitavo Sarau Chatô, organizado pela Fundação Assis Chateaubriand e pelo jornal Correio Braziliense.
Helga, Denise, Loyane e Márcia

O cotidiano do Rio foi bem representado no sarau com música, poesia, literatura, dança e comidinhas típicas.

O mímico Miquéias Paz abriu as apresentações, seguido de recital de poesia e da boa música do Clube do Choro com reco do Bandolim. Depois veio o balanço do som de Célia Rabelo e Leonel Laterza, que mandaram muito bem. O samba no pé e a gafieira tiveram espaço com dançarinos.

A festa teve ainda literatura, com noite de autógrafo de Márcio Cotrim - que lançou a obra O Pulo do Gato 4, e exposição de arte com peças em metal.

Na gastronomia, os participantes degustaram delícias como empada de frango com palmito, batata frita, caldo, bolinho de bacalhau e ovo de codorna com molho rosé. A noite nunca foi tão carioca. Lembrava a Lapa.

Brasília, patrimônio cultural da humanidade, se rendeu ao Rio, agora patrimônio mundial pela UNESCO, a primeira cidade a receber esse título. Um luxo que só os cariocas têm.

Um espaço para respirar arte, ver gente bonita, colocar o papo em dia com os amigos. Muuuuuitos jornalistas passaram por lá. A imprensa marcou presença.

Para o Rio, aquele abraço!
 Clube do Choro com reco do Bandolim
 Miquéias Paz, mímico
Orquestra das Senhoritas

Propaganda que eu fiz para o Correio Braziliense

Clique no video e assista.

26 de jul de 2012

As mulheres resolveram tirar a roupa. Os homens também?

Cartaz de divulgação Marcha das Vadias DF

Cartaz de divulgação Marcha das Vadias DF

Em Teologia Contemporânea estudamos sobre a Teologia Feminista, um movimento em prol da liberdade e dos direitos das mulheres, ligado à Teologia da Libertação.

A partir dessas aulas fiquei mais curiosa para observar o movimento feminista atual. Percebi vários grupos se posicionando e uma característica me chamou a atenção. Para protestar, elas resolveram tirar a roupa. Isso mesmo. Acreditam que chamam mais a atenção seminuas do que somente gritando, organizando caminhadas e segurando cartazes de protesto.

Quer exemplos? A Marcha das Vadias, uma luta mundial que ocorreu em 20 cidades no último mês. Aqui em Brasília, como em São Paulo, no Rio de Janeiro e em outras metrópoles mundo afora, as feministas tiraram a roupa, pintaram os corpos e foram às praças públicas reivindicar o fim da violência física e emocional contra as mulheres, o direito ao aborto, o fim do turismo sexual e por outras causas políticas.

Durante a Eurocopa 2012, na cidade Kiev, na Ucrânia, várias mulheres do grupo Femen, inclusive uma brasileira, foram presas por tirarem a roupa durante os jogos de futebol. Mesmo com a polícia reprimindo o movimento com veemência, as feministas não desistem. Ficar nua é a maneira que acharam de chamar a atenção e protestar.

Agora os homens também resolveram fazer o mesmo. Oito bombeiros espanhóis ficaram nus. Usaram somente capacetes e botas. No cartaz escreveram a frase “de tantos cortes ficamos nus”, em protesto contra a política de austeridade do governo. Outras manifestações iguais foram marcadas em 80 cidades da Espanha. O fato é recente, aconteceu em 19/7.

Em entrevista por e-mail, a ativista Lia Padilha Fonseca, 28 anos, agrônoma, integrante da Marcha das Vadias no Distrito Federal foi questionada sobre a nudez feminina durante os atos públicos. Ao mesmo tempo em que elas criticam a mulher ser vista e usada como objeto, algumas manifestantes praticam a mesma coisa que discordam. Ou seja, ficam nuas. A pergunta para Lia foi: o ato de se expor (nua) não reforça a má imagem que a mulher carrega? Como explicar isso? Ela respondeu: “algumas mulheres na Marcha sentem a liberdade de mostrar seus peitos sem que isso seja visto ou usado como objeto, e sem que isso dê direito a ninguém de abusar de seus corpos. A nudez na Marcha é uma atitude de protesto contra a repressão e violência sexual. Algumas pessoas associam o corpo nu à razão da objetificação das mulheres, o que é uma simplificação de uma questão infinitamente maior. Essa objetificação tem raízes muitos mais profundas e que são externas aos nossos corpos, como por exemplo, na representação das mulheres na mídia, na utilização do corpo das mulheres de forma utilitária e mercadológica, na intenção de provocar a sensação de prazer aos homens por meio de nossas imagens nos mais variados veículos de comunicação. Os homens, por exemplo, andam sem camisa pelas ruas sem que isso seja interpretado como uma objetificação de seus corpos. Por que essa liberdade é negada às mulheres? O problema não está nos nossos corpos em si, mas nos valores que são impressos sobre esses corpos. As mulheres que fazem topless na Marcha não estão exibindo seus corpos. Estão, como esses homens, simplesmente andando pelas ruas, usufruindo da liberdade e da autonomia sobre seus corpos em um dia de calor. A mulher deve ter autonomia sobre seu corpo e sua sexualidade. E nenhum decote, saia curta ou topless pode tirar essa autonomia da mulher, ou o direito a uma vida livre de violência. Para tocarem em nossos corpos, apenas com o nossa permissão e consentimento. Trazemos a discussão sobre a autonomia do corpo. Portanto, nada mais coerente podermos utilizá-lo como ferramenta de protesto”.

Minha opinião
Respeito a opinião das mulheres e dos homens que resolveram tirar a roupa.  Concordo com a visão delas de que deve-se acabar com a violência contra a mulherada. Mas não creio que seja bom o método de protesto escolhido.

Elas protestam contra a cultura da mulher objeto e agem da mesma forma. Ou seja, são contra as mulheres serem vistas como objetos sexuais dos homens, como mercadorias para venda de produtos, mas tiram a roupa igualmente. Criticam quem faz isso e fazem a mesma coisa. Difícil entender isso. Se a moda pega – se já não pegou, agora todo mundo fica nu se discordar de alguma coisa?