30 de abr de 2012

Pastor queima Corão, de novo

Pela segunda vez, o pastor americano Terry Jones queimou o Corão, livro sagrado dos muçulmanos. A fogueira foi no último sábado, 28 de abril de 2012, na Flórida. O culto, onde aconteceu a queima, foi transmitido ao vivo pela internet.

O pastor se defendeu das críticas dizendo que decidiu colocar fogo no livro sagrado em protesto contra a prisão do pastor iraniano Youcef Nadarkhani, que foi condenado à morte por apostasia. Ele converteu-se ao cristianismo e por isso será executado. No Irã, as pessoas não têm liberdade religiosa. Devem seguir a religião muçulmana caso queiram ou não.

Fúria no mundo islâmico - Novamente houve protestos. Agora quem reclamou foi o governo do Irã, por meio do ministério das Relações Exteriores, que disse estar indignado com o ato radical do pastor americano.

Essa foi a segunda vez que Terry desrespeita a religião muçulmana. Ano passado, ele também queimou o Corão. Nos protestos contra o ato do ano passado, dez pessoas morreram no Afeganistão.

O governo americano disse à imprensa que está preocupado com a ação do pastor, temendo que os soldados americanos que estão em missão de paz em países islâmicos sejam prejudicados.

28 de abr de 2012

Igreja inclusiva vira moda no Brasil


Prato cheio para as extensas reportagens na imprensa, com a desaprovação das igrejas tradicionais que não concordam com o que chamam de desvio de comportamento, crescem no país as igrejas inclusivas que têm um público determinado: os gays.

Quais as características desse público?
Os dados não são de uma fonte oficial, mas estima-se que nas igrejas inclusivas existam 10 mil fiéis.
É formada por maioria de homens, cerca de 70%.
O nível social é diverso.
Predominantemente as igrejas inclusivas estão localizadas no eixo Rio-São Paulo.

O que esse público busca?
Ser aceito dentro de uma igreja, pois acreditam que as tradicionais os critica.
Querem liberdade de comportamento e de culto. Praticar a fé independente da opção sexual.
Querem não se esconder.
Querem não ter que “ser curados”.
Pregam o celibato antes do casamento e a fidelidade e monogamia depois.

Por que esse movimento ganha força no Brasil?
Especialistas citam alguns pontos:
Muita exposição na mídia;
Aumento das políticas de combate à homofobia;
Diminuição do preconceito.

Quantos homossexuais existem?
Os números não batem. O IBGE diz que são 60 mil casais homossexuais no país. Os militantes dizem que são de 6 a 10 milhões de pessoas.

Percentual de fiéis das duas maiores religiões tradicionais no Brasil:
Católicos = 68,43%
Evangélicos = 20,23%
Fonte: IBGE

Qual número de igrejas gays?
Existem mais de 40 (entre missões e delegações).
Uma curiosidade: há dez anos era apenas uma.

Qual a posição dos evangélicos sobre a prática homossexual?
As igrejas cristãs tradicionais respeitam-nos enquanto seres humanos, mas não concordam com a prática homossexual.
Acreditam que é um comportamento escolhido que pode ser revertido caso a pessoa aceite.
As igrejas evangélicas não expulsam os homossexuais. Eles são recebidos. As portas da igreja não estão fechadas para esse público. Mas dizem abertamente que desaprovam o comportamento por interpretarem que a Bíblia o coloca como pecado.
As igrejas católicas também não concordam com a prática homossexual, mas não se envolvem em discussões públicas sobre o tema.
Fonte: Folha
http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1082262-desafiando-preconceito-cresce-numero-de-igrejas-inclusivas-no-brasil.shtml

27 de abr de 2012

Greve dos professores no DF

Como professora de História, defendo a legitimidade da greve. Também entendo o direito constitucional dos profissionais.

O Brasil tem que mudar. Tem que investir em educação e isso passa por remunerar melhor os professores.

Mas discordo da decisão política atual da classe. Os professores do Distrito Federal estão em greve há 47 dias. Agora descumprem as ordens da Justiça.

O Tribunal de Justiça do DF (TJDF) disse que era para os professores voltarem às salas de aula. Eles descumpriram a ordem. Ontem um grupo de grevistas invadiu o sexto andar do anexo do Palácio do Buriti. O TJDF mandou os professores desocuparem o prédio. Eles também não cumpriram a ordem judicial.

O movimento parece que partiu para a radicalização. Cadê a democracia, o diálogo com o governo?

Também estão fechando as pistas em protesto, no horário do almoço, e atrapalhando os motoristas que não têm nada a ver com a greve. Falta educação e respeito pela sociedade. Os professores precisam repensar essa posição.

Com o descumprimento das ordens judiciais, com a radicalização de parte do movimento, eu fico contra os professores. Isso não é exemplo de educação.

Atualização
No final do dia os professores desocuparam o anexo do Palácio do Buriti. A greve continua.

23 de abr de 2012

Marina Silva é ordenada pastora


Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente

Marina Silva foi ordenada pastora da Assembléia de Deus. A cerimônia foi realizada pelo pastor Sóstenes Apolos.

A decisão foi aprovada pela Convenção das Assembléias de Deus no Distrito Federal (CEADDIF). Marina é membro da Igreja Assembléia de Deus Novo Dia, localizada na L2 Sul, em Brasília.

Essa é uma grande conquista para as mulheres assembleianas. Até então, a denominação rejeitava a ordenação delas para a função maior de pastora. No máximo as mulheres exerciam o cargo de missionárias.

A decisão abre a possibilidade de outras mulheres também alcançarem a liderança. A assembleia nacional já rejeitou uma vez a ordenação delas.

Marina Silva tem quase 30 anos de vida pública. É conhecida e reconhecida nacional e internacionalmente, ganhando vários prêmios pela militância na área ambiental. É ex-senadora, ex-ministra do Meio Ambiente e ex-candidata à presidência da República. Em 2010, foi a terceira colocada nas eleições presidenciais, com aproximadamente 20 milhões de votos. Dilma Rousseff venceu as eleições naquele ano, tornando-se a primeira mulher a presidir o Brasil.

A mulher na religião
No Brasil, elas ainda não alcançaram muitos avanços quando o assunto é ser líder religiosa. São poucas as mulheres ordenadas pastoras. As igrejas batista são abertas para elas serem líderes gerais. Mas as assembleianas, presbiterianas e várias igrejas neo-pentecostais não aceitam mulheres como bispas ou pastoras.

Em outras religiões a situação não é diferente. A Igreja Católica não ordena mulheres para cargos máximos. No budismo, judaísmo, espiritismo elas também não são líderes.

22 de abr de 2012

Torre Digital, a flor do cerrado. E a TV no Brasil

Mais qualidade nas imagens da televisão, com sinal digital, para os brasilienses. Esse é um dos benefícios da Torre Digital que foi inaugurada ontem em Brasília.

Quem ganha com esse projeto de Oscar Niemeyer? Ganham as empresas de TV, ganham os brasilienses e o turismo local, pois a torre é o mais alto mirante da cidade, construída em uma área de 8,5 mil metros quadrados.

No total a torre tem 185 metros. Os visitantes têm acesso a 120 metros de altura, de onde poderão apreciar vários pontos turísticos do centro da Capital.

Em oito meses será instalada a antena de transmissão para as emissoras. Mas o público já pode apreciar a beleza de Brasília do alto, pois o mirante está aberto para visitação aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 17h.

 Torre Digital ainda em construção: imagens de internet

Maquete da Torre Digital

A força da TV no Brasil

Por que investir em TV? Por um motivo simples: a televisão é o maior veículo de comunicação de massa do Brasil.

De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada no dia 28 de março de 2012, organizada pelo Instituto Pró-Livro, ver televisão é a atividade preferida dos brasileiros nos momentos de folga (85% dos entrevistados). Em seguida aparecem escutar música ou rádio (52%), descansar (51%) e reunir-se com amigos e a família (44%). A leitura ficou em sétimo lugar. O percentual de entrevistados que declarou gostar de ler caiu de 36% (entre 2007) para 28% (em 2011). De acordo com o estudo, a Bíblia aparece em primeiro lugar entre os gêneros preferidos.

Quais as características da TV? Qual a influência nas pessoas? A informação transmitida na televisão é superficial e rápida demais. A falta de aprofundamento, de mais explicações para melhor esclarecer as pessoas aponta para outro problema: é desse meio que os brasileiros mais recebem informação. Isso significa que bebem de uma fonte rasa, sem análise crítica, com visão unilateral. Ao assistir TV a pessoa toma a posição passiva, apenas receptora da informação. Não tem a oportunidade de interagir, debater, aprofundar-se. Os comunicadores é quem decidem o que as pessoas assistem, o que será pauta nacional ou não. As pessoas têm o recurso de escolher os canais fechados, que transmitem programas mais diversificados. Mas esse recurso é caro e, portanto, ainda é distante da maioria da população que têm maior acesso somente à TV aberta.

TV tem alvo coletivo, é responsável por uma relação social abstrata e passiva, modeladora dos acontecimentos. É criticada e enaltecida. O saber emanado do aparelho é saber comum porque todas as pessoas veem as mesmas informações. A TV não permite uma escolha, vê-se o que foi programado. A TV não tem troca, não há publico no momento da produção de um programa, não há interação como uma peça de teatro, por exemplo. Há o papel imobilizador do público. Ela é distante, mas passa a ideia de ser familiar e as pessoas recebem seu conteúdo com naturalidade. Apresentadores querem parecer naturais, como em um bate papo.

Mas também tem pontos positivos: ela reúne vários veículos em um: teatro, cinema, musica, literatura. É uma conquista e uma revolução do meio eletrônico.

Propicia contato entre regiões distantes, culturas diversas. É o maior entretenimento da sala de estar no Brasil. Difunde maciçamente ideias, conceitos. É instantânea, mundial e está em todas as classes sociais.

Apesar de já ser grande o alcance da televisão, esse ponto deve crescer ainda mais, pois agora a TV está até na internet. A juventude vai mesmo se ligar na telinha.

Só para se ter mais uma ideia da força desse gigante, uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que há mais televisores disponíveis no Brasil do que geladeiras. Mais de noventa por cento dos lares têm, pelo menos, um aparelho de televisão. Em média, assiste-se cinco horas por dia da programação das emissoras.

A televisão dita a moda, influencia na escolha da roupa, no comportamento social das pessoas, cria expressões linguísticas. A TV também enaltece ou rebaixa a reputação das pessoas. Em caso de crítica, isso é um problema grave, pois afeta a imagem pública do indivíduo. TV ainda gera importantes debates públicos ou grandes polêmicas, além de estabelecer a agenda nacional. Mas também pode dissiminar informações irrelevantes, fazer fofoca. O que é veiculado será o assunto discutido nas rodas de conversa do poder público, no café da esquina, na mesa do bar, no salão do cabeleireiro. É preciso estar antenado para saber os últimos fatos. Ignorar a TV significa ser desatualizado. Tem a força de alcançar um grande público, num curto espaço de tempo, a custo baixo para a população que hoje pode comprar bons aparelhos. É uma janela aberta para o mundo. A imagem corre o globo terrestre em segundos abordando conteúdo político, econômico, de entretenimento, religioso, entre outros. Ligar um aparelho significa conectar-se com a realidade da vida.

Uns detalhes não podem ser esquecidos quando o foco é pensar TV. Ela fascina, envolve, é importante. Mas gera passividade (a sociedade é receptora e não produtora de conteúdo), pouco questionamento, tem conteúdo superficial e aliena. TV faz comunicação unilateral. Pela força do discurso, pode levar as pessoas a ter posições que os comunicadores desejam. As pessoas podem passar a viver no mundo da televisão, comprar ou desejar adquirir os produtos que esta oferece, os valores e conceitos que prega, seja abertamente, seja indiretamente. Quem nunca ouviu falar que uma pessoa desejou ou comprou um brinco, um aparelho de jantar ou o abajur de um filme ou de uma novela? É um bombardeio de informações e de posicionamentos.

Vendo TV, sem que se perceba, as pessoas podem negar seus referenciais éticos, morais, religiosos para incorporar o que é imposto. Por isso é importante pensar, questionar e não somente receber a informação como certa.

Na TV, a maioria da programação (70%) é estrangeira. Um forte indício do domínio cultural. Existem poucos programas regionais. De modo geral, somente os grandes centros, as metrópoles, são retratados na tela. A população do Ceará pouco se vê, mas a cultura do Rio de Janeiro é muito disseminada. A TV, quando mal usada, se presta a um papel de minar a cultura. E os desavisados podem nem perceber esse problema. Aceitam os modos de vida, os hábitos de outro estado, de outro país como se fossem seus.

Boa e ruim, mas de importância singular, a TV transformou e transforma a vida. Quer um exemplo da força da audiência? É só analisar os números apresentados para ver o alcance de uma emissora. Na décima segunda edição do Big Brother Brasil, a Rede Globo contabilizou 36 milhões de votos na disputa pela eliminação entre os participantes João Maurício e Yuri. A informação foi dada pelo jornalista Pedro Bial, apresentador do reality show. Os telespectadores participaram votando de três maneiras: pela internet, pelo telefone e por mensagem de texto. Nas duas últimas, a pessoa pagava para participar. Entendeu? A pessoa gastou seu dinheiro para atender ao pedido do apresentador, mas não deixou de votar. Isso ilustra e dá base para entender a comunicação de massa.

A televisão foi inventada nos Estados Unidos, em 1945. Chegou ao Brasil em 1950, trazida pelo empresário Assis Chateaubriand. Foi a TV Tupi a primeira emissora comercial brasileira. De lá para cá a TV se desenvolveu e hoje exerce influência significativa na cultura brasileira. Seja de alta ou baixa qualidade, é impossível ignorar a televisão como um meio de comunicação mais eficaz e efetivo da desta era pós-moderna.



20 de abr de 2012

Excesso de informação

É frase comum entre os jornalistas que o excesso de informação desinforma. O que isso significa? Que as pessoas desse mundo pós-moderno têm sobrecarga de informação. É um consumo sem fim, o que nem sempre significa que o consumidor de informação seja uma pessoa crítica, atualizada, antenada com o mundo.

Qual a solução? É urgente filtrar as informações. Ser seletivo. Não cometa o erro de incomunicar, no lugar de comunicar.

Quer um exemplo de excesso de informação e como os meios de comunicação de massa aumentam os fatos no sentido de dar visibilidade a um assunto que talvez não seria conhecido não fosse os holofotes da mídia?

Qual a importância de um grupo pequeno de pessoas que decide ocupar uma rua protestando contra tudo, principalmente contra a desigualdade econômica e social nos Estados Unidos? Foi o Occupy Wall Street, um movimento que cresceu mundialmente depois que as pessoas protestaram em Manhattan, Nova York. Esse caso exemplifica como a imprensa pode aumentar a visibilidade ou sufocar um movimento, tornando-o invisível. Inicialmente o movimento era sem alcance. A imprensa local, nacional e mundial não deu atenção. Como as pessoas permaneceram acampadas em praça pública, os jornalistas, que detém nas mãos os meios de comunicação, resolveram divulgar. Pronto! Bastou isso para o movimento tornar-se mundial, sendo imitado por outros países. Veio mais uma reportagem que ajudou a aumentar o excesso de informação que o mundo atravessa. O assunto bombou nas redes sociais. Isso mostra ainda que o que antes era específico de uma região tornou-se universal. É uma fragmentação do conhecimento. É o mundo tornando-se um só, uma “aldeia global”, que Marshall Mc Luhan profetizou. O mais incrível é que a Bíblia também profetiza isso: que o mundo seria um.

Outro exemplo? A Luiza. Ninguém a conhecia. Mas agora todos sabem que Luiza estava no Canadá, mas já voltou.

Por que a imprensa noticia? Porque sempre haverá alguém que se interessa por um assunto específico. O mundo está fragmentado. O conhecimento está fragmentado.

Dá para confiar nesse mundo conectado, com excesso de informação? Depende da fonte. A confiabilidade da informação depende de quem a divulga, pois assim o consumidor/leitor saberá se a mesma é verdadeira, se foi checada antes de ser divulgada. É necessário saber qual é a fonte para ter certeza se a informação é confiável. Pode ser fofoca, pode ser intriga, pode ser um monte de coisas. Checar a fonte é indispensável.

Todas as pessoas tornaram-se comunicadores hoje? Não. Não basta compartilhar um evento, curtir uma foto nas redes sociais, publicar uma opinião em um blog ou no site do jornal para ser um comunicador. A opinião do público é fundamental. Não se desconsidera isso. Mas ser ligado na internet ou ler uma revista não é suficiente para tornar-se um profissional da comunicação. É necessário mais formação.

Diante de um mundo com excessos, que as pessoas sejam cautelosas ao consumir. Selecione, escolha, critique. Não receba tudo como se fosse o mais natural e único caminho. Existem outros caminhos. Recuse ser massa de manobra. Pense por você mesmo. Seja inteligente.

13 de abr de 2012

Polêmica: liberado aborto de feto sem cérebro

A mulher que tem gestação de feto anencéfalo (sem cérebro) agora pode decidir se quer fazer o aborto ou não. Deve ficar bem claro que a decisão não obriga a mulher a abortar. Permite a escolha que é decidir fazer o aborto ou levar a gravidez de anencéfalo adiante, mesmo sabendo que o feto não viverá.


O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou ontem, por oito votos a dois, que não é crime esse tipo específico de aborto.

Um ponto importante a ser lembrado. A decisão do STF não autoriza o aborto no Brasil. O Código Penal criminaliza o aborto, com duas exceções: em caso de estupro e de risco à vida da mãe. A lei continua valendo. Abortar é crime.

A polêmica continua
Apesar da maioria dos ministros ter votado a favor do aborto do feto anencéfalo, a decisão não é unânime. Acredita-se que essa descriminalização abra caminho para a interrupção de gestação de outros fetos que sofram de outras doenças genéticas que levem ao encurtamento da vida dentro ou fora do útero.

Entidades religiosas e movimentos pró-vida também protestaram. Dizem que esse é o primeiro passo para que o Poder Legislativo ou o Supremo debatam o aborto futuramente. No início da sessão, um dos ministros lembrou que o país é laico. Isso significa que as opiniões dos religiosos não devem prevalecer. Padres, pastores, outros religiosos e ativistas podem se manifestar. Mas as opiniões deles não devem interferir na decisão final. Entidades religiosas não foram aceitas nas discussões, pois o relator disse que o debate deveria ser “desemocionalizado”. Uns ainda afirmam que o direito à vida, o mais básico dos direitos, está sendo negado ao feto. Acredita-se que essa permissão para um aborto específico viole a Constituição.

Os que são a favor da interrupção da gestação de anencéfalos afirmam que esse é um problema de saúde pública e não de direito penal. O risco à saúde física e psicológica da mãe justificaria o aborto. Entidades feministas festejaram a decisão do STF.

Números
O Brasil é o quarto país do mundo com maior incidência de casos de fetos anencéfalos. Perde somente para Chile, México e Paraguai. Dos 194 países ligados à Organização das Nações Unidas (ONU), 84 aceitam esse tipo de aborto.

Foi a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde que pediu ao STF a permissão para interromper esse tipo de gravidez. O pedido foi feito em 2004. Portanto, a decisão demorou oito anos para ser tomada.

O que é a anencefalia
É uma malformação do feto que fica sem cérebro, calota craniana e couro cabeludo porque tem problema no fechamento do tubo neural que é a estrutura que dá origem ao cérebro e à medula espinhal.

Há casos em que o bebê sem cérebro morre dentro do útero. Em outros, o bebê nasce, mas morre pouco tempo depois.

12 de abr de 2012

Caminhos da fé

Esta semana o Jornal da Band exibe a série Caminhos da Fé, mostrando a religiosidade brasileira.

Mais de 300 cidades são rotas do turismo religioso.

Para assistir as reportagens, visite:

http://www.band.com.br/jornaldaband/series.asp?v=3c971b6c223dea14c47800391402a19f&autoStart=false

7 de abr de 2012

Malhação de Judas: de onde vem essa brincadeira?

Boneco de Judas Iscariotes

Além de presentear com ovos de chocolate, a Páscoa tem outro costume: muitas pessoas malham o Judas. O que é isso?

Nos grandes centros urbanos a brincadeira é cada vez mais rara. Mas ainda existe no interior do Brasil e em vários países. É a tradiçao de fazer um boneco de pano do tamanho de um homem, enchê-lo de serragem ou papel, dependurar em um poste de iluminação pública ou em galhos de árvores, e malhá-lo no sábado de aleluia. Os participantes leem um testamento que narra os bens de baixo valor do boneco. Depois o malham. Uns colocam fogo, outros batem-no com paus e jogam pedras.

O boneco de pano representa uma figura mal vista. É o simbolismo da morte de Judas Iscariotes, que se vendeu por 30 moedas de prata, traindo Jesus ao entregá-lo aos soldados romanos (Marcos 14). O texto bíblico diz que Judas se enforcou com uma corda depois da traição.

A malhação veio para a América Latina trazida pelos espanhóis e portugueses. Mas remete-se a tempos ainda mais antigos.

Agricultores queimavam bonecos durante a colheita para espantar as divindades do mal. Depois, a prática - que significa purificação, foi introduzida ao calendário romano e ao cristianismo.

É o momento de expor e espantar os demônios e ficar limpo para o domingo da ressurreição. Por isso é que acontece no meio da Páscoa, no sábado de aleluia. Um dia depois da sexta-feira santa (crucificação de Cristo) e um dia antes do domingo (ressurreição de Jesus Crsito).

5 de abr de 2012

Copa do Mundo 2014 e os evangélicos


A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) criou um movimento gigantesco com o objetivo de evangelizar durante a Copa do Mundo de 2014. É o Joga Limpo Brasil.

O lançamento do projeto será em São Paulo, dia 24 de abril. Depois se estenderá pelas capitais brasileiras.

Todos os evangélicos estão convidados a participar como voluntários. A mobilização é para atletas, igrejas e organizações cristãs.

Além da SBB, os parceiros são a AMME, Atletas de Cristo, CBE e Renas.

Informações: http://www.jogalimpobrasil.com.br/ / http://www.sbb.org.br/ / 0800-727-8888