20 de ago de 2012

Diploma para jornalista aprovado no Senado

Por 60 votos favoráveis e 4 contra, o Senado Federal aprovou, em 7 de agosto, proposta de emenda à Constituição (PEC) 33/2009 determinando exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo.

Agora a emenda será encaminhada e votada na Câmara dos Deputados. Se aprovada, vai para sanção presidencial. Se modificada, deverá retornar à primeira Casa (Senado) para ser votada novamente.

De autoria do senador Antonio Carlos Valladares (PSB-SE), a PEC é para garantir que somente jornalistas com diploma tenham direito de exercer a profissão.

Em 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a exigência do diploma para a categoria. Para extinguir a obrigatoriedade do diploma os ministros atenderam a um pedido do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e do Ministério Público Federal (MPF).

Todas as pessoas que conseguiram o registro profissional, enquanto o diploma estava cassado, continuarão com o direito de trabalhar.

De acordo com a Agência Senado, de 1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011, foram concedidos 11.877 registros, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do STF.

17 de ago de 2012

Tradução da Bíblia, um desafio

Participei hoje do Fórum de Ciências Bíblicas que comemorou os 30 anos da Associação Linguística Evangélica Missionária (ALEM). O evento teve a parceria da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) e da Associação Internacional de Linguística (SIL Brasil).

Com o tema Tradução da Bíblia, os preletores mostraram o quanto ainda é necessário trabalhar para fazer Jesus conhecido, amado e adorado no mundo.

Uma pessoa compreende melhor uma mensagem em sua língua mãe, a língua chamada do coração. A Bíblia tem que ser lida com óculos culturais. É necessário contextualizar as Sagradas Escrituras. Por isso, é para ontem a tradução da Palavra de Deus para todos os povos.

Veja o tamanho do desafio: existem 6900 línguas faladas no mundo por cerca de 6,5 bilhões de pessoas. Nem todas as pessoas têm a Bíblia traduzida. São 2200 línguas que ainda precisam de tradução. Isso representa 353 milhões de pessoas que não tem um único versículo bíblico na língua materna.

É urgente a igreja mundial – destaque para a brasileira, investir em missões e na tradução da Bíblia.

Você quer ajudar? Vale lembrar o tripé de missões: você pode ir (ser um missionário), orar e/ou ajudar financeiramente os que se dispõe a ir. Você pode ainda ser um voluntário na sua igreja ou em instituições que trabalham para levar Jesus às pessoas. Você quer se envolver?

16 de ago de 2012

13 de ago de 2012

Arte de Candido Portinari é história e cultura brasileira


Eu, na exposição de Candido Portinari

Ele pintou o Brasil nas suas cores mais alegres. A série Retratos da Brasilidade, composta de 12 telas gigantes, está em exposição em Brasília revelando o brasileiro que levou história, graça e vida para os quadros.

A pedido de Assis Chateaubriand, Portinari pintou as telas, entre 1954 e 1956, para decorar o jornal O Cruzeiro. Com isso ele marcou o período de arte modernista, ao colocar na tela pinceladas com cores fortes, formas, efeitos dramáticos, desenhos expressivos. Antes, o cinza predominava, pois era típico do cubismo. Ele ganhou mais notoriedade ao sair da sombria cor cinza e encher de cores seus trabalhos. São essas obras que os visitantes poderão conferir na exposição.

Entre baianas, cenas de gaúchos, o garimpo das Minas Gerais, o descobrimento do Brasil com índios e caravelas, a música ritmada do frevo e do samba, os bandeirantes, os seringueiros. De tudo um pouco Portinari retratou. Mostrou o Brasil popular, regional e nacional. O Brasil folclórico.  Um País muito simples, mas expressivo. Alegre também. Os vaqueiros e as jangadas do Nordeste assim como o bumba-meu-boi não foram esquecidos.

A riqueza das cores do brasileiro artista atravessou mares, sendo exposta internacionalmente, onde recebeu vários prêmios. Uma riqueza que mostra a alma da Nação por meio de figuras. Muita arte. Muita vida brasileira nas telas. Exaltação nacional. Uma assinatura reconhecidamente tupiniquim, com muito orgulho.

Perfil
O artista plástico Candido Portinari (1903-1962), que nasceu no interior de São Paulo, pertenceu a uma geração de intelectuais cuja lista tem nomes como Gilberto Freira, Oscar Niemeyer, Villa-Lobos, Mário de Andrade, entre outros.

Enfocando a alma do Brasil em sue trabalho, é representante do período modernista da cultura brasileira.

Minha opinião
Fui à exposição. Gostei! Recomendo.

Serviço
Exposição Retratos da Brasilidade
Até 16 de setembro de 2012, das 9h às 18 horas, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, com entrada franca.

12 de ago de 2012

Diploma para jornalista aprovado no Senado


Uma vitória para os que estudaram e para a sociedade. Por 60 votos favoráveis e 4 contra, o Senado Federal aprovou, no último dia 7, proposta de emenda à Constituição (PEC) 33/2009 determinando exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo.


Agora a emenda será encaminhada e votada, em dois turnos, na Câmara dos Deputados. Se aprovada, vai para sanção presidencial. Se modificada, deverá retornar à primeira Casa (Senado) para ser votada novamente.

De autoria do senador Antonio Carlos Valladares (PSB-SE), a PEC é para garantir que somente jornalistas com diploma tenham direito de exercer a profissão.

Em 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a exigência do diploma para a categoria. Para extinguir a obrigatoriedade do diploma os ministros atenderam a um pedido do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e do Ministério Público Federal (MPF).

Todas as pessoas que conseguiram o registro profissional, enquanto o diploma estava cassado, continuarão com o direito de trabalhar.

Minha opinião
A PEC é para corrigir um absurdo que o STF cometeu. Desmerecer, desrespeitar e tirar a importância de um diploma para o exercício da profissão. Onde o Brasil vai parar? Eles deveriam incentivar para que as pessoas estudassem mais. E não cassar o diploma de quem foi para a escola se preparar. Eu estudei, me esforcei muito e tive o meu diploma igualado a nada. Imagina se um País desse vai para a frente.

Espero que a Câmara dos Deputados aprove a PEC. Outra coisa: depois que a PEC for aprovada totalmente, defendo que sejam cassados todos os registros profissionais que foram expedidos enquanto vigorou (e ainda vigora) a lei que retirou a obrigatoriedade do título. Defendo o livre exercício profissional, mas com diploma nas mãos.

De acordo com a Agência Senado, de 1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011 foram concedidos 11.877 registros, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do STF.

3 de ago de 2012

A culpa é da imprensa?

Engraçado. Sempre que a imprensa divulga uma denúncia torna-se culpada pelos fatos. Na verdade, os denunciados é que falam que toda a culpa é da imprensa. Vou explicar.

Estudo de caso 1
O mensalão no qual os 38 réus estão sendo julgados esta semana pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Eles armaram um grande esquema de desvio de dinheiro. Pura corrupção. E estavam no poder na época. Eram ligados ao PT que mandava no Brasil. Quando estourou o escândalo até o ex-presidente Lula disse que os jornalistas falavam demais.

Estudo de caso 2
Na operação Monte Carlo o bicheiro Carlinhos Cachoeira foi preso. A turma dele também foi para a cadeia. A mulher do contraventor, Andressa Mendonça, deu entrevista para o Fantástico, Rede Globo. Disse mil coisas, mil bobagens. Entre as pataquadas, afirmou que o marido dela é um homem bom e que a imprensa estava crucificando-o. Ele fora escolhido para Cristo.

Aí eu pergunto: foram os jornalistas que praticaram os crimes e as irregularidades? Então por que a culpa é da imprensa? São os jornalistas que estão sentados no banco dos réus no STF? Então por que eles são os culpados?

Quando Carlinhos Cachoeira praticou todas as irregularidades, quando os integrantes do mensalão praticaram crimes, os jornalistas não estavam lá. Não se envolveram, não incentivaram, não fizeram. Como pode os acusados praticarem crimes e culpar quem divulga os fatos?

Tornou-se mania no Brasil culpar a imprensa. Como em todos os segmentos profissionais, têm jornalistas bons e comprometidos com a informação e outros que envergonham a classe. Mas nem por isso a imprensa é culpada pelos erros alheios. A imprensa divulgou os fatos. A imprensa não praticou os erros e crimes.

Deu para entender que a culpa é dos réus que estão presos e sendo julgados e não dos jornalistas?

Ah, vai achar outra coisa para fazer. Chega de dizer bobagem, de culpar quem não tem nada com isso.

2 de ago de 2012

Aula de história do Brasil, com quadro da primeira missa

Entrada da exposição na Câmara dos Deputados

Todos os alunos do ensino médio já viram esse quadro nos livros de História. É do artista Vítor Meireles, intitulado A “Primeira Missa do Brasil”. Essa é uma das telas famosas dos livros didáticos, sendo pintada entre 1858 a 1860, em Paris. O autor inspirou-se no relato estampado na carta de Pero Vaz de Caminha.
Vários esboços foram produzidos antes da obra final que tem dimensão grandiosa (óleo sobre tela, 270X357cm).
Essa foi a primeira obra de um artista brasileiro a ser exposta no Salão de Paris, em 1861. Pelo sucesso Meireles (que nasceu em Desterro, atual Florianópolis, em 1832, e morreu no Rio de Janeiro, em 1903) foi condecorado com o grau de Cavaleiro da Ordem da Rosa, pelo imperador D. Pedro II.
Escritores, jornalistas e críticos de arte afirmam que Vitor Meireles cometeu um equívoco ao nomear a sua obra de “Primeira Missa no Brasil”. O artista descreveu a segunda missa aqui celebrada, tendo-a denominado de “primeira missa” por ser a primeira a ser oficiada em terra firme, na presença de índios tupiniquins, no dia 1º de maio de 1500. Ainda há o comentário dos que afirmam que Meireles, seguindo o seu estilo de estudos na França, referenciou a obra de Première Messe en Kabylie, de Horace Vernet. A cena do frei com o cálice erguido é quase idêntica nas duas obras.

Minha opinião
Como professora de História jamais deixaria de visitar essa exposição. Eu amei! Vi várias vezes a imagem do quadro nos livros didáticos. Ver a obra, ao vivo, foi muito bom. Recomendo para todos os professores, jornalistas, estudantes. Também para todas as pessoas inteligentes que gostam de arte, cultura e história.

Serviço
Exposição Primeira Missa no Brasil, de Vítor Meireles
De 3 de julho a 16 de setembro de 2012
Das 9h às 18 horas
Salão Nobre da Câmara dos Deputados
Entrada gratuita
Informações: (61) 3216-1768 / exposicoes@camara.gov.br



Quadro da "Primeira Missa do Brasil", de Vitor Meireles, em exposição na Câmara dos Deputados